Publicidade

Correio Braziliense

Surdodum celebra 25 anos e se apresenta no Clube do Choro

O grupo musical formado por pessoas com deficiência auditiva se apresenta no Espaço Cultural do Choro


postado em 21/08/2019 07:00

(foto: Bento Viana/Divulgação)
(foto: Bento Viana/Divulgação)


Em 1994, Ana Soares, uma visionária professora e fonoaudióloga brasiliense, teve uma iniciativa, na área da inclusão social, que tinha como objetivo proporcionar a pessoas com deficiência auditiva a participação numa banda de percussão. Esse projeto, igualmente de cunho pedagógico e cultural, resultou no surgimento do Surdodum.

Os 10 músicos que formavam a banda inicialmente receberam aulas de percussão no âmbito do Centro de Ensino Especial na 912 Sul. Quatro meses depois, eles fizeram a primeira apresentação em público, tocando para estudantes do Colégio Sigma. Desde então, tem sido intensa e marcante a presença do grupo na cena musical da cidade, fora dos limites do Distrito Federal e até no exterior.

Hoje, às 21h, o Surdodum sobe ao palco do Espaço Cultural do Choro para celebrar 25 anos de atividade, com uma formação que inclui 12 participantes, sendo seis músicos surdos, um cadeirante ouvinte e quatro ouvintes voluntários, além de alguns convidados especiais. O espetáculo foi preparado especialmente para a data.

Do diversificado repertório constam um pot-pourri de samba de roda, com a participação do grupo Som Afro Brasil; Tim Maia e Olhos coloridos (Sandra de Sá), com a participação dos cantores Marcelo Sena e Thiago Nascimento, respectivamente; além da emblemática Nada será como antes (Milton Nascimento e Fernando Brant).

Transformação

“Em nossos shows temos objetivo de agregar crianças, jovens e adultos, surdos e ouvintes, pessoas com e sem deficiência, pois temos certeza de que toda e qualquer linguagem artística-inclusiva exerce grande poder de transformação”, explica Ana Soares, coordenadora do projeto, detentora de vários prêmios tema do documentário Na batida do silêncio, dirigido por Fábio Brasil e exibido no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

Festivais, mostras, seminários são alguns dos eventos que contaram com a participação do Surdodum, ao longo dos anos. Entre eles estão: Comemoração dos 50 anos da Unicef, Ano Ibero-Americano de Pessoas com Deficiência, Dia Nacional da Luta do Deficiente, entrega do Prêmio de Direitos Humanos, Revezamento da Tocha Olímpica — todos em Brasília.

“A banda marcou presença também na comemoração do Dia do Surdo, na Câmara Municipal da cidade de Guarda, em Potugal; em show na Fundição Progresso, na Lapa (RJ), Mostras e Seminário Artes Sem Barreira, em Bauru (SP); Seminário de Musicalização para Surdo, em Uberlândia (MG)”, conta a coordenadora. “Recebemos, ainda, a moção de louvor da Câmara Legislativa do Distrito Federal”, acrescenta.

O novo projeto do Surdodum é a gravação do segundo DVD, que vai focalizará cantiga de roda. O repertório está praticamente definido, mas ainda não há previsão para a entrada em estúdio. “Estamos tentando viabilizar a produção, mas, pelo visto, vamos ter que esperar mais um pouco, para ver como as coisas se encaminham”, comenta Ana.

Na batida do silêncio foi o nome dado ao CD e ao DVD, lançados em 2010 e 2012, respectivamente, com o registro do trabalho do Surdodum. “No CD tivemos a participação de Paulinho Moska, Marcos Farias, Haroldinho Mattos e outros músicos brasilienses. Já no DVD contamos com a participação do grupo Axé Dudu”, conta.



Surdodum
Show comemorativo dos 25 anos da banda, com a participação de convidados, hoje, às 21h, no Espaço Cultural do Choro (Eixo Monumental, ao Lago do Centro de Convenções Ulysses Guimarães). Ingressos: R$ 40 e R$ 20. Não recomendado para menores de 14 anos. Informações: 3224-0599.
 
 
 
 
 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade