Publicidade

Correio Braziliense

Noite do Festival de Gramado aposta no desvelar de preconceitos

Soropositivos, imigrantes e profissionais do sexo ocupam a telona do Palácio dos Festivais, em Gramado, propondo a liberdade de sempre no cinema nacional


postado em 22/08/2019 18:47

Veneza é o filme da noite de hoje, no Festival de Gramado(foto: Imagem Filmes/ Divulgação)
Veneza é o filme da noite de hoje, no Festival de Gramado (foto: Imagem Filmes/ Divulgação)

 

A quebra de preconceitos parece fazer parte do programa de hoje, no 47º Festival de Cinema de Gramado. Enquanto o longa-metragem estrangeiro Perro bomba, assinado pelo chileno Juan Caceres, se concentra no destino de um personagem haitiano que passa aperto no Chile; o curta paulistano Sangro, assinado por Tiago Minamisawa, Bruno Castro e Guto BR, investe em quebrar tabus e desmistificar questões

relacionadas a Aids. Curiosamente, o longa terá estreia justamente no mesmo dia em que outro longa nacional deposita fichas em narrar da vida de uma personagem também sospositiva, retratada por Alain Fresnot, em Uma noite não é nada.

 

Ainda na noite de hoje, no Palácio dos Festivais, a mostra competitiva projetará Veneza, produção carioca de Miguel Falabella. Filmado no Uruguai, na Itália e no Brasil, o longa tem como estrela a espanhola Carmen Maura, emblemática na carreira de Pedro Almodóvar. Na trama, estrelada ainda por André Mattos, Dira Paes e Eduardo Moscóvis, Gringa é uma cafetina que pretende se reconciliar com um amor do passado. Afita que compete por troféus Kikito terá estreia em circuito nacional no dia 12 de dezembro.      

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade