Publicidade

Correio Braziliense

Espaço Cultural do Choro projeta novo CD de Keilah Diniz

Amazônia e cerrado são alguns dos temas abordados nas composições de Keilah Diniz


postado em 15/10/2019 06:48 / atualizado em 15/10/2019 10:56

Espaço Cultural do Choro projeta novo CD de Keilah Diniz(foto: T K Rezim/ Divulgação)
Espaço Cultural do Choro projeta novo CD de Keilah Diniz (foto: T K Rezim/ Divulgação)

 

Tema tão em voga atualmente, a consciência ambiental sempre foi uma preocupação de Keilah Diniz. A cantora e compositora nascida em Nova Aurora (GO), graduada em música pela Universidade de Brasília (UnB), deixou isso claro já em seus primeiros discos, Amazônia... a Deus e Cores da mata, lançados em 1988 e 2002, respectivamente.

No trabalho que desenvolve há 50 anos, a artista mostra reverência à natureza e engajamento às manifestações culturais e movimentos sociais do país, questões que ela leva hoje (dia 15/10, terça), às 21h, para o palco do Espaço Cultural do Choro, no show de lançamento do Dons, o terceiro álbum, que reúne 12 composições autorais.
 
“Em Dons, aproveito para traçar, paralelamente à atividade artística, minha trajetória de vida, desde a chegada a Brasília, no começo da década de 1970, até os tempos de agora. Nesta minha narrativa incluo as sensações vividas ao contemplar paisagens do cerrado e o encantamento pela cultura dos povos e da Floresta Amazônica”, destaca Keilah.

O CD com 12 faixas autorais traz, na abertura, Fios, inspirada nas peças de artesanato criadas com capim-dourado do Jalapão, de Tocantins. É muito bonito remete à flora do cerrado, enquanto em O futuro chegou, a cantora lembra da chegada a Brasília, à época da ditadura militar. O enfoque sobre a Amazônia está presente em É verde, Juruá (dedicada a Moisés Piyako, liderança do povo Ashaninka).

Trilha sonora


Capitolino foi composta para a trilha sonora da peça de teatro As aventuras de um diabo malandro. “Esta música, feita em 1980, depois de um sobrevoo da Floresta Amazônica, continua muito atual por focalizar um personagem invasor e explorador da floresta”, diz Keilah. Em Clara, ela se atém ao encontro de um mestre espiritual com a mentora, a rainha da floresta, a partir de letra escrita a quatro mãos por Silene Farias e Francis Maris. A canção integra o repertório do folguedo acreano Jabuti Bumbá.

Todos os discos de Keilah foram gravados aqui na cidade, com a participação de músicos brasilienses. O maestro Eugênio Matos assina a direção musical e arranjos de Amazônia... a Deus e Cores da mata, e Flávio Fonseca, de Dons. Roberto Correa e Sebastião Tapajós marcam presença no Cores da Mata.

Keilah é autora também da trilha sonora de O divisor que nos une, filme com direção de Maristela Bernardo, lançado em 2004. Pelo conjunto da obra e participação em movimentos sociais, ela foi agraciada com o Prêmio Chico Mendes, em 2007, na categoria Arte e Cultura, concedido pelo Ministério do Meio Ambiente. Seis anos depois, tomou parte do festival Jam à Montreux, na Suíça.

Hoje, no show de lançamento do Dons, a cantora terá a companhia de Eugênio Mattos (piano), James Fernandes (violão e baixo elétrico), Nilton de Castro (acordeon), Marcos Ramalho (percussão), Mariana Burlamaqui e Diana Mota (flautas). Haverá ainda a participação de Flávio Fonseca (voz e violão), Stela Brandão (voz), da banda Cheers, e do coro formado por Gabriel Kuran, Nayara Lopes, Marco Burlamaki, Tatiana Diniz e Ana Vilalba.

Keilah Diniz

Show de lançamento do CD Dons, com a participação de banda e convidados. Hoje (dia 15/10, terça), às 21h, no Espaço Cultural do Choro (Eixo Monumental, ao lado do Centro de Convenções Ulyses Guimarães). Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia para estudantes). Pontos de venda: bilheteria do Clube do Choro e rede de lojas Bilheteria Digital, em shoppings da cidade. Não recomendado para menores de 14 anos. Informações: 3224-0599.

 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade