Publicidade

Correio Braziliense

DJ mirim brasiliense, de 11 anos, participa de programa de talentos francês

Rivkah se apresentou no 'La France a un incroyable talent' e arrancou elogios dos jurados


postado em 12/11/2019 22:50 / atualizado em 13/11/2019 19:10

DJ Rivkah(foto: Reprodução/Instagram)
DJ Rivkah (foto: Reprodução/Instagram)
A jovem DJ Rivkah está em plena ascensão. A artista mirim brasiliense, de apenas 11 anos, partiu do quadradinho para ganhar a Europa. Rebecca Rangel conseguiu se apresentar na última edição do La France a un incroyable talent, um dos maiores reality-show de competição de calouros do mundo. A franquia pertence ao America’s got talent, sucesso de audiência no Estados Unidos.

 

Na apresentação de Rivkah, a animação e os elogios dos jurados foram base do show. A garota atacou as pick-ups e lançou os já conhecidos remixes. Assista:

 

 

 

Ao Correio, a mãe da garota, Valesca Rangel, contou um pouco sobre a experiência: "Ela já era conhecida na Europa, então a TV 5 (Monde) canadense fez um documentário sobre crianças prodígios e uma delas era ela (Rebecca), e por isso ela ficou mais conhecida lá, ela já tinha muitos seguidores francês e daí surgiu o convite e foi uma experiência incrível ela foi muito bem recebida, ela fez um pot-pourri de músicas conhecidas, e todos amaram, teve uma ótima repercussão”. 

 

Ficou curioso com o trabalho de Rivkah, então leia mais sobre o destaque infantil.

Conheça o talento da DJ Rivkah

Quando tinha apenas 9 anos, Rebecca Rangel roubou a cena durante o projeto Na Praia, ainda em 2017. Esse foi apenas o início da DJ Rivka, que já até abriu show da funkeira Anitta no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha.

 

Toda a história começou durante o período de férias escolares. Acostumada a ouvir música eletrônica desde a barriga da mãe, Valesca Rangel, Rebecca pediu para fazer aulas de DJ. Empolgada, quis fazer o curso, que costuma durar quatro meses, em apenas um mês e meio. “Eu sempre gostei de música eletrônica, porque minha mãe me levava para as festas. Mas eu nunca pensei em ser DJ. Procurei o curso e comecei a fazer”, explicou Rebecca Rangel ao Correio em uma entrevista para a repórter Adriana Izel em 2017.

 

“Ela pediu para fazer o curso de DJ. Eu procurei e marquei uma aula experimental. Era para ter sido feito em quatro meses, mas ela quis fazer aula todo dia, de segunda a sábado, sendo duas horas por dia. Ela teve a sorte de conhecer o Sony, que se tornou mais do que um padrinho para ela. Ele e o Matheus Hartmann a levam para tocar onde eles vão. Os três juntos fazem muita bagunça e acho que deu certo porque ela é muito bem-humorada e logo se integra aos DJs da festa”, analisou a mãe, Valesca Rangel. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade