Publicidade

Correio Braziliense

Exposição traz a errância hispânica de Jesse A. Fernández para Brasília

Morto em 1986, o artista cubano têm as obras expostas pela primeira vez em Brasília


postado em 13/11/2019 16:20 / atualizado em 13/11/2019 16:21

Retrato de Jesse A. Fernandez(foto: Jesse A. Fernandez/Divulgação)
Retrato de Jesse A. Fernandez (foto: Jesse A. Fernandez/Divulgação)

A exposição Errância e fotografia de Jesse A. Fernández traz o olhar hispânico pelos caminhos que o fotógrafo percorreu, sobretudo na América Latina. “As cidades formam o itinerário artístico e vital de Fernández para os dois mundos”, conta o curador Fernando Castillo. A mostra abre nesta quinta-feira (14/11), no Espaço Cultural Instituto Cervantes de Brasília, onde permanece até 10 de janeiro.
 
Ao todo, quase 140 obras desembarcam na cidade. Nascido em 1925, em Havana, o fotógrafo, pintor e escultor cubano descobriu a profissão na Colômbia e praticou o conceito de “errância hispânica”. Em outras palavras, para além da inspiração espanhola, o artista — inclinado ao Surrealismo — colocou nas obras as vivências e o apreço pelas culturas e pela essência das pessoas dos locais onde viveu de 1952 até 1986, quando morreu. Em comum nas fotografias, o forte vínculo com a cultura da Espanha.
 
Foto de 1958, na Colômbia, onde descobriu a vontade de ser fotógrafo(foto: Jesse A. Fernandez/Divulgação)
Foto de 1958, na Colômbia, onde descobriu a vontade de ser fotógrafo (foto: Jesse A. Fernandez/Divulgação)

 
“A exposição em Brasília é a etapa essencial dessa errância hispânica, ou seja, latina, devido ao status de capital e centro cultural do Brasil. Este é um país essencial pela singularidade e pelas características no mundo latino-americano, presentes nas obras de Jesse A. Fernández. Se, como dizia (o escritor Federico) Garcia Lorca, a Espanha não pode ser entendida sem a América Latina, a América Latina não pode ser entendida sem o Brasil. Uma realidade que as fotografias de Jesse A. Fernández contribuem para a compreensão”, defende o espanhol. 
 
Fernández era ligado a escritores, artistas e músicos, sobretudo hispânicos, a quem retratou nos trabalhos. A exposição se divide em nove seções. “Essa visão pessoal das diferentes cidades é seguida pelo grupo de artistas retratados em cada um dos seus lugares, sempre unidos por um vínculo comum de latinidade”, explica o curador. A exceção é a parte sobre a terra natal, Havana, com obras sobre o começo da Revolução Cubana, incluindo Fidel Castro.
 
Realizada pela Embaixada da Espanha e pelo Instituto Cervantes, a mostra artística é parte do projeto Quatro fotógrafos vistos por quatro escritores e já passou por Espanha, pelo Rio de Janeiro e por São Paulo. “Brasília completa essa turnê brasileira da exposição o que, de alguma forma, compensa o fato do fotógrafo nunca ter estado no país”, finaliza o curador.

Serviço
Exposição Errância e fotografia de Jesse A. Fernández
No Espaço Cultural Instituto Cervantes de Brasília (707/907 Sul, Bl. D). Abertura nesta quinta-feira (14/11), às 19h. Visitação de segunda a sexta, das 9h às 20h, e sábado, das 9h às 15h, de 15 de novembro até 10 de janeiro de 2020. Entrada franca. Classificação indicativa livre.

*Estagiária sob supervisão de Adriana Izel

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade