Publicidade

Correio Braziliense

O projeto Música e Cidadania ganha o Prêmio Profissionais da Música

Projeto do Paranoá ganhou o prêmio e fez apresentação para celebrar Claudio Santoro, Ronaldo Bastos e Roberto Menescal


postado em 14/11/2019 06:30 / atualizado em 14/11/2019 14:02

Orquestra Música e Cidadania: ela existe há 12 anos e tem integrantes na faixa dos 20 anos de idade (foto: Arquivo do projeto Música e Cidadania/ Divulgação)
Orquestra Música e Cidadania: ela existe há 12 anos e tem integrantes na faixa dos 20 anos de idade (foto: Arquivo do projeto Música e Cidadania/ Divulgação)

 

O Prêmio Profissionais da Música, realizado no começo do mês em Brasília, celebrou os 100 anos da música brasileira e homenageou nomes de destaque desse segmento artístico como o maestro e compositor Claudio Santoro, o compositor e violonista Roberto Menescal, e o compositor e produtor Ronaldo Bastos.

No final do evento, o troféu PPM foi entregue a artistas e instituições de várias partes do país, escolhidos por votação popular, pelo trabalho que desenvolvem. Um deles, na categoria Projeto Musical Especial Educativo, foi destinado ao Música e Cidadania, do Paranoá, que em 12 anos de existência, já atendeu a aproximadamente 2 mil crianças e jovens.

Gratuitamente, o Música e Cidadania oferece aos alunos – a maioria e baixa renda – aulas de contrabaixo, clarineta, euphonium, flauta transversal, percussão, saxofone, trombone, trompa, trompete, tuba, violino, viola, violoncelo, além de musicalização infantil. Mantém ainda as bandas Brasília Sopro Sinfônico e Tocando Sonhos e a Orquestra Música e Cidadania.

Por sua atuação, o projeto já obteve o reconhecimento de entidades como Ministério da Justiça, secretarias de Justiça, Cultura do Distrito Federal e Conselho dos Direitos da Criança e Adolescentes. Em 2018, recebeu da Secretaria de Cultura o troféu Cultura Viva como agente cultural de base comunitária no Distrito Federal.

Em julho último, ao término de uma oficina que teve uma semana de duração, quatro alunos da instituição, na faixa etária dos 20 anos, moradores do Paranoá, Itapoã e Varjão foram selecionados pelo maestro Claude Brendel e contemplados com bolsa de estudos para o Conservatório de Rouen, na França. 

Mas, para que, em agosto do próximo ano, a flautista Talía Vieira, a contrabaixista Elissandra Souza, o clarinetista Luan Almeida e o contrabaixista Samuel Araújo possam transformar o sonho em realidade, eles precisam arrecadar recursos a serem utilizados na viagem. A bolsa cobre apenas o custo das aulas no conservatório. As outras despesas, que incluem passagem, hospedagem, alimentação e transporte naquela cidade francesa, por volta de R$ 35 mil, ficam a cargo de cada um.

Valdécio Fonseca e Cláudia Fonseca – marido e mulher –, mineiros de Belo Horizonte, são os responsáveis pelo projeto que teve início no Varjão no segundo semestre de 2007. “Como as instalações que tínhamos no Varjão já não atendiam mais às nossas necessidades, em razão do aumento do número de alunos, transferimos o Música e Cidadania para o Paranoá”, lembra Cláudia, que é produtora executiva. 

 

 

Brasília Sopro Sinfônica

Inicialmente, o projeto ocupou um espaço no CEF, onde ficou por seis meses. “Depois, nos instalamos num prédio da Administração Regional, que estava abandonado”, lembra. “Atualmente, contamos com sete salas de aula, duas salas de ensaio, uma instrumentoteca, secretaria e copa, para o atendimento de 300 alunos. Para tanto. Desde o início de nossas atividades, temos contado com o patrocínio FHE Poupex, e com esses recursos pagamos os 14 professores e uma secretária”, acrescenta.

Criada em 2007, a Brasília Sopro Sinfônica é o grupo mais importante do projeto. Da formação atual fazem parte 46 instrumentistas, na faixa etária dos 20 anos, sob a batuta do maestro Eduardo Guimarães. Valdécio Fonseca, diretor artístico do grupo – com licenciatura em música pela UnB – diz que a diversidade e a heterogeneidade musical são características marcantes da banda, que, com instrumental completo, costuma executar obras populares e eruditas.

“A Brasília Sopro Sinfônico tem se apresentado regularmente em eventos diversos. Destaco, entre as apresentações, o concerto com o renomado pianista Arthur Moreira Lima, em 2013, no Teatro Poupex; shows no Teatro Nacional Cláudio Santoro, Teatro Dulcina, Teatro Pedro Calmon, no Clube do Choro, Escola de Música. A banda já tocou também na Feira Literária de Pirenópolis e no Festival de Música Instrumental e Arte Popular de Cavalcante”, acrescenta o diretor artístico. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade