Publicidade

Correio Braziliense

Misturando live-action e animação, 'Sonic - O filme' é a estreia da semana

O filme traz para os cinemas o corre-corre desenfreado de um estressado protagonista de jogos eletrônicos. Confira as outras estreias da semana


postado em 13/02/2020 06:25

Com ultravelocidade, o protagonista de 'Sonic - O filme' enfrenta tremenda solidão, por ser absolutamente singular na Terra(foto: Paramount Pictures/Divulgação)
Com ultravelocidade, o protagonista de 'Sonic - O filme' enfrenta tremenda solidão, por ser absolutamente singular na Terra (foto: Paramount Pictures/Divulgação)


O humorista Jim Carrey está de volta às telonas com Sonic — O filme. Mas é justamente um boneco produzido pelos computadores que rouba a cena, como protagonista. Ele limita até a participação de Carrey. Todo destaque é mesmo do ouriço, criado em animação, atopetado de reluzentes espinhos azuis.

Muito conhecido do público ligado em jogos eletrônicos, Sonic (com a voz de Ben Schwartz), o ouriço, criado em animação,  é protagonista de uma franquia japonesa, popular por mais de 30 anos.

Nada enturmado, Sonic (em algumas partes da aventura chamado de Mancha Azul, Demônio Azul e até de “ouriço espacial”) chega à pequena cidade de Green Hills (Montana), ao acaso. Disposto a correr na vida — já que tem potencial para alcançar a marca dos quase 500km/h —, na Terra, ele deve passar despercebido, por recomendação de uma antiga tutora batizada de Garra-Longa. No corre-corre, o personagem acaba por se envolver com a família do policial Tom (James Marsden), um tanto inquieto pela perspectiva de marasmo no dia a dia.
 
Jim Carrey interpreta um doutor de objetivos pouco nobres (foto: Paramount Pictures/Divulgação)
Jim Carrey interpreta um doutor de objetivos pouco nobres (foto: Paramount Pictures/Divulgação)
 

Tendo por recurso dramático uma série de portais que fazem lembrar Caverna do dragão, a trama do filme segue o comando do diretor Jeff Fowler (estreante, mas que tem no currículo a indicação ao Oscar de melhor curta-metragem, por Gopher Broke) e discute temas como solidão e conquista de maturidade. Orçado em US$ 95 milhões, Sonic — O filme promete breves referências à figura de Flash, outro às da velocidade. Bigodudo e com ares de hipster, o personagem de Jim Carrey é o doutor Robotnik, um tipo que tem muita vocação para executar planos de caráter dúbio.

O cartaz do filme, em si, é revelador, sem deixar dúvidas: Robotnik promete dar trabalho não só para a dupla Sonic e Tom, mas ainda por aqueles que os cercam, casos dos personagens interpretados por Tika Sumpter e Adam Pally, respectivamente, Maddie, uma dedicada companheira de Tom, e Billy Rob, um inexperiente agente de polícia, sempre desnorteado, mas sob as asas de Tom. Entre os recursos para sabotar a existência de Sonic, Robotnik lança mão de uma numerosa quantidade de drones observadores e autodeterminados.

  • Entre humanos e animação


Uma cilada para Roger Rabbit (1988)

O filme de Robert Zemeckis revela a corrida de um coelho (representado em desenho) para se libertar da condição de suspeito de crime. Para piorar, há um vilão que pretende liquidar as animações e todos os personagens desenhados.

Crimes em Happytime (2018)

Uma união indesejada entre o detetive Phil (Ryan Tran) e a policial Connie (Melissa McCarthy) se torna praticamente obrigatória quando investigam a morte sequenciada de fantoches de um famoso grupo.
 

Pixels (2015)

Mesmo diretor de Harry Potter e a pedra filosofal, Chris Columbus conduz a trama em que raça alienígena replica, em tamanhos gigantes, personagens de videogames clássicos, num afronte direto aos terráqueos. Com Adam Sandler.
 

Ted 2 (2015)

Mark Wahlberg ganha novamente a companhia do urso desbocado. Com a voz do comediante Seth MacFarlane, o urso de pelúcia tem por objetivo a gravidez da esposa, num casamento em crise, e quer John como doador de esperma.

O retorno de Mary Poppins (2018)

Famoso diretor do musical Chicago (2002), Rob Marshall comanda esta sequência para o clássico com Julie Andrews e que conta com Emily Blunt no papel da babá capaz de transformar ambientes. Tudo se passa na era da Grande Depressão.

Space Jam — O jogo do século (1996)

O astro do basquete Michael Jordan é o reforço conseguido para os amigos do famoso Pernalonga que estão com a liberdade posta à prova pela ação de alienígenas. Dirigido por Joe Pytka, o filme encerra com uma disputa nas quadras de basquete.


  • Estreias da semana


Antologia da cidade-fantasma

De Denis Côté. Com Robert Naylor. Acidente misterioso mata um homem, em episódio abafado por habitantes de uma cidade.

Cicatrizes 

De Miroslav Terzic. Com Snezana Bogdanovic. Mulher se desespera para entender o paradeiro do filho, sumido há 18 anos.

O grito 

De Nicolas Pesce. Com Andrea Riseborough e Demian Bichir. Um ciclo de maldições é efetivado, após uma morte trágica.

Inaudito 

De Gregorio Gananian. Documentário sobre o instrumentista Lanny Gordin, parceiro de artistas como Gal Costa.
 

Modo de produção 

De Dea Ferraz. Revela, por meio de sindicato de trabalhadores, mudanças e choques entre objetivos do Estado e da Justiça.

O preço da verdade 

De Todd Haynes. Advogado (Mark Ruffalo) busca, junto a trabalhadores, conexão entre mortes e a existência de lixo tóxico. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade