Diversão e Arte

Festival celebra Dia Mundial do Livro e homenageia Clarice Lispector

O Festival Digital do Livro será transmitido on-line e ocorre nesta quinta-feira, a partir das 6h

Lucas Batista*
postado em 20/04/2020 14:42
Evento celebra a vida e obra de Clarice Lispector, que completaria 100 anos em 2020
Com 18 horas de atividade, iniciando às 6h indo até 0h, o Festival Digital do Livro chega a primeira edição para comemorar o Dia Mundial do Livro, nesta quinta-feira (23/4). O evento também celebra o centenário de uma das escritoras mais importantes do Brasil: Clarice Lispector.

Promovido pela Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), o festival teve duas motivações para ser realizado, segundo o curador da programação, Mário Helio. ;A primeira é a data em si, o Dia Mundial do Livro. Queremos mostrar que escrever, ler e editar são atividades nas quais o isolamento, a solidão e até o confinamento forçado, como o atual, não inibem nem afetam negativamente, muito pelo contrário. O segundo aspecto é celebrar o centenário de Clarice Lispector, porventura a autora brasileira mais conhecida no mundo e a mais popular na internet;, conta.

[SAIBAMAIS]Devido às motivações, a escolha dos participantes foi bem específica. ;A palestra principal ficou a cargo da agente literária Luciana Villas-Boas, que nos explica a situação atual do mercado do livro e o futuro. Há duas palestras sobre Clarice e uma sobre a filosofia da leitura. Além de depoimentos e leituras de mais de trinta autores;, explica Mário.

Assim como a música, a pintura e os exercício físicos, ler livros é uma boa ocupação durante o período de isolamento social. Mário classifica a literatura como o modo ;mais rico de enfrentar a quarentena;. ;Ler é uma forma de viagem sem ser preciso sair do lugar. A literatura possibilita algo assim e ativa muitos músculos da imaginação, da memória, da inteligência e da sensibilidade;.

A transmissão do Festival Digital do Livro será no site: www.flidfundaj.com.br. A ideia de fazer uma live com 18 horas ininterruptas veio da inspiração de uma obra totalmente conectada com a temática do evento. ;A inspiração para o tempo dessa duração é também um livro. O romance Ulysses, de James Joyce. Foi em Joyce que Clarice buscou também inspiração para o título do seu livro Perto do coração selvagem;, completa o curador.

Concursos

O festival oferecerá 100 entradas para o cinema da Fundaj, até dezembro deste ano, para os vencedores do concurso Claricem Palavras, em textos, e Claricem Imagens, em fotografias, que renderá a fotobiografia Clarice: uma vida que se conta, de Nádia Battella Gotlib, ao vencedor.

Para concorrer ao prêmio na categoria de texto, é necessário redigir um texto com o limite máximo de 100 palavras sobre a obra ou vida de Clarice Lispector, incluindo o título. Caso o participante exceda o limite de palavras será desclassificado.

Na categoria de fotografia, basta selecionar fotografias inspiradas na vida ou nas publicações da autora. As fotos devem ser acompanhadas por uma legenda de uma frase apenas, retirada de textos de Clarice ou de autoria do próprio fotógrafo-leitor.

As inscrições vão até quarta-feira (22/4) e os trabalhos devem ser enviados para o e-mail: fundajoficial@gmail.com.

Catálogo de livros

Agregando a festividade digital, a Editora Massangana da Fundaj oferece um catálogo digital com obras para serem baixadas gratuitamente em PDF.

São 12 livros e o acervo disponível ao público conta com títulos das mais diversas áreas do conhecimento, como antropologia, cultura afro-brasileira, desenvolvimento econômico, poesia, contos e muito mais. Entre os exemplares está a obra Ecos de Clarice, da escritora Márcia Basto, inspira-se nas inquietudes e questionamentos das palavras claricianas.

Programação

O festival será dividido nos períodos da manhã, tarde e noite, e a programação on-line será guiada pelo âncora Ivan Júnior. Assim, o evento terá palestras, entrevistas, conversas, leituras, recitais, exibição de filmes e participações de nomes fundamentais para o Dia Mundial do Livro.


Manhã - das 6h às 12h

Abertura com o poema Tecendo a manhã, de João Cabral de Melo Neto;

Saudação do presidente da Fundação Joaquim Nabuco, escritor Antônio Campos;

Rádio - leitura do horóscopo e de manchetes de jornais do dia 10 de dezembro de 1920;

Rádio - programação musical I: O Recife está todo vivo em mim (pout-pourri de canções das décadas de 1920 e 1930);

Programa de TV/Rádio A Hora das Estrelas - conversas com leitoras e leitores, escritoras e escritores;

O mundo do livro I - O livro didático no Brasil, com representantes da Fundação Joaquim Nabuco, do Ministério da Educação e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE);

Palestra - Melhor estar no negócio do livro do que no da Aviação, pela agente literária Luciana Villas-Boas;

Rádio - leitura do texto de Clarice Lispector para crianças: O mistério do coelho pensante.

Tarde - das 12h às 18h

Palestra - O pequeno mundo compartilhado: a subjetividade pulsante nas crônicas de Clarice Lispector, pela escritora Cláudia Nina;

Entrevista com o jornalista e escritor Marcelo Pereira sobre os cronistas pernambucanos Antônio Maria e Clarice Lispector;

Leitura - trechos da obra de William Shakespeare, pelo tradutor Lawrence Flores Pereira;

Cinemateca pernambucana I ; O Rochedo e a Estrela, longa-metragem de Katia Mesel, com Germano Haiut, Geninha da Rosa Borges, Pedro Oliveira, Sônia Bierbard. Link: Cinemateca Pernambucana;

Palestra sobre Cervantes e Shakespeare, pelo professor João Cezar de Castro Rocha;

Recital de trecho do romance Don Quijote, pelo professor espanhol Ángel Espina Barrio;

O mundo do livro II - entrevistas com o presidente da Academia Pernambucana de Letras e da União Brasileira de Escritores.

Noite - das 18h à 0h

Palestra - Por que ler os clássicos: por uma filosofia da leitura para entender o mundo, pela escritora Marcia Tiburi;

Programa de Rádio/TV - A Hora das Estrelas;

Palestra - Por uma questão de justiça: modos de ler Clarice Lispector, pela escritora Clarisse Fukelman;

Cinemateca pernambucana II - Clandestina Felicidade, curta-metragem de filme de Marcelo Gomes e Beto Normal, com Luísa Phebo, Nathalia Corinthia, Germano Haiut, Sarah Hazin, Izabel Brito, Luci Alcântara, Elaine Kauffman, Samuel Vieira. Link: Cinemateca Pernambucana;

Divulgação do resultado dos concursos Claricem Imagens e Claricem Palavras;

Encerramento - leitura de trecho do livro Assombrações do Recife Velho, de Gilberto Freyre.

*Estagiário sob a supervisão de Adriana Izel

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação