Diversão e Arte

Projeto promove shows em supermercados do DF durante quarentena

Músicos recebem cachê simbólico, doações espontâneas e cestas básicas, uma ajuda em tempos de crise no setor cultural

Devana Babu*
postado em 28/04/2020 10:40
 (foto: Felipe Boechat/Divulgação)
(foto: Felipe Boechat/Divulgação)
O casal de músicos Alberto e Yara Gambirasio comandou a segunda edição do projeto: bossa e jazz entre as prateleiras
As medidas de isolamento social adotadas no combate ao novo coronavírus fragilizaram bastante o setor cultural, já que boa parte da receita gerada pelos profissionais da área depende das apresentações ao vivo. Muitos artistas têm investido em soluções virtuais para driblar a crise, mas o músico e ex-advogado Felipe Boechat, morador de Águas Claras, percebeu outra solução: promover shows dentro dos supermercados, um dos poucos tipos de estabelecimento que podem se manter em funcionamento neste período.

;A ideia surgiu de um post engraçado no Facebook. Alguém perguntou onde tinha uma farmácia com modão sertanejo. Aí eu pensei: na farmácia não dá, mas nos supermercados dá!”, conta Felipe ao Correio. Conselheiro de cultura de Águas Claras e músico desde os 17 anos, Felipe abandonou a advocacia para viver de música, tocando e dando aulas. O insight para o projeto, ele diz, veio do próprio desespero por, como os demais colegas, ter o ganha-pão comprometido pela pandemia.

Bateu na porta de algumas redes de supermercado com a proposta e apenas a unidade do Superbom em Águas Claras apoiou a proposta: oferecer música ambiente, ao vivo, para os clientes do supermercado, em troca de uma ajuda de custo e alimentos para a mesa dos músicos, além de doações espontâneas dos clientes. "Acho que consegui porque o diretor (do mercado) é baixista. tem uma banda de metal top", brinca o idealizador do projeto.

Na terça-feira da semana passada (21/3), celebração do aniversário de Brasília, o próprio músico, acompanhado do baixista Luís Henrique, realizou uma edição piloto. Na semana seguinte, se apresentou o duo Gambirasio, de jazz e bossa nova, e depois a dupla Alisson Oliveira (voz e violão) e Welton (percussão). Desde então, cerca de 50 músicos já estão interessados no projeto e 23 músicos estão contratados para se apresentar nas unidades do mesmo supermercado no Guará e na Samambaia, além da de Águas Claras.

[VIDEO1]

Para organizar a demanda, o conselheiro de cultura fez uma parceria com a Associação de Músicos e Artistas do DF e Entorno (AMARDFE), que organiza os músicos e a agenda. Para participar do projeto, os artistas precisam se associar, mas podem fazê-lo e, se desejarem, se desligar a qualquer momento, sem ônus. ;Achei essa Associação interessante porque é recente e busca conseguir plano de saúde, aposentadoria, descontos em farmácias e laboratórios e exames, etc., para os músicos e artistas;, elogia Felipe.

Os integrantes de cada dupla ganham, cada um, uma ajuda de custo no valor de R$ 75, uma sexta básica e o dinheiro doado pelo próprio público. ;O público aplaude e se mantém afastado, fazendo compras normalmente;, comenta Felipe. As apresentaçoes serão transmitidas por meio de lives nas redes sociais da AMARDFE.

O projeto está aberto a novas parcerias e apoiadores. Os interessados podem entrar em contato com Felipe pelo e-mail felipeboexat@gmail.com ou pelo telefone 61 98192-1495.

*Estagiário sob a supervisão de Adriana Izel

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação