Publicidade

Correio Braziliense

'Sempre quis inspirar mulheres', diz a cantora Luísa Sonza ao Correio

Com o single Braba, a artista de veia autoral fortalece a corrente de empoderamento feminino


postado em 29/04/2020 08:22 / atualizado em 29/04/2020 10:21

Luísa Sonza chegou ao topo do Spotify com o single pop Braba(foto: Jonathan Wolpert/Divulgação)
Luísa Sonza chegou ao topo do Spotify com o single pop Braba (foto: Jonathan Wolpert/Divulgação)
Dona do primeiro lugar no ranking Top Brasil no Spotify, com mais de 22 milhões de visualizações do single Braba, a cantora Luísa Sonza, 21 anos, investe em produções autorais que transitam entre o funk e o pop music. A artista gaúcha foi escolhida pela revista Forbes, no fim do ano passado, uma das personalidades mais poderosas do país com menos de 30 anos.

Nas criações musicais, desde o álbum Pandora, lançado em junho de 2019, Sonza deixa claro que participa de todos os processos de produção. Por isso, além de cantar, atua como codiretora de filme. “Trabalho desde os 7 anos com música, é a minha vida. Eu sempre me doo 100% nos lançamentos, gosto de participar das etapas”, conta em entrevista ao Correio.
 
 
O single Braba foi um marco na vida da artista. Para ela, alcançar o topo nas plataformas de streaming com uma música que funciona como uma libertação do corpo feminino é de grande responsabilidade social. Além de valorizar a parte da melodia, que cativa pela batida dançante do pop, ela se orgulha por influenciar jovens na maneira de pensar. “Sempre quis inspirar mulheres, ajudá-las. Hoje, ter essas respostas do público me deixam extremamente realizada. Quero cada vez mais empoderar mulheres e mostrar que, juntas, somos o que quisermos ser”, explica.

Mudanças

Em 2014, as apostas musicais para Luísa Sonza se baseavam em covers de singles conhecidos no YouTube. O primeiro EP, homônimo, foi lançado como um novo norte para a produção autoral. Na coleção, Luísa investiu em ritmos do acústico com violão ao funk, com a composição Devagarinho, que chegou ao Top 50 do Brasil no Spotify e com Não preciso de você, em colaboração de Luan Santana.

Para ela, trabalhar com um leque de estilos é vantajoso por não se limitar apenas a um público específico. “É maravilhoso ter uma liberdade criativa”, declara. No entanto, ainda que invista em produções ecléticas, Luísa se identifica mais com o pop music. “Temos pessoas incríveis, talentosas e poder fazer parte disso é uma enorme realização, principalmente por ver tantas mulheres no topo”, comentou.

Além do novo single, Braba, Luísa diz que há novos projetos para este ano e que o período de quarentena tem sido bem aproveitado em relação à criação de mais conteúdo para o público.

*Estagiária sob supervisão de Igor Silveira

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade