Publicidade

Correio Braziliense

Live reúne artistas, cientistas e ativistas em prol dos povos da Amazônia

A transmissão ocorre nesta quinta-feira (28/5), das 21h às 23h via Facebook e site artistsforamazonia.org


postado em 28/05/2020 17:24

(foto: AFP / Tarso SARRAF)
(foto: AFP / Tarso SARRAF)

Nesta quinta-feira (28/5), Wagner Moura, Jane Fonda, Morgan Freeman, Carlos Santana, Maria Gadu, Rick Martin, Sting, Cara Delevingne e vários outros artistas se unem a líderes indígenas, cientistas e ONGs no evento Artists United for Amazonia: Protecting the Protectors (em tradução livre, artistas unidos pela Amazônia, protegendo os protetores), um evento global de duas horas, das 21h às 23h pelo horário de Brasília, com transmissão ao vivo via Facebook e site artistsforamazonia.org

O evento será apresentado pela ativista, atriz e coestrela de Game of thrones Oona Chaplin e promoverá o Fundo de Emergência da Amazônia, lançado no mês passado por uma coalizão de organizações indígenas, ONGs e aliados para suprir necessidades urgentes de povos indígenas da Amazônia ameaçados pela covid-19. 

Os recursos arrecadados serão usados em prevenção e atendimento imediatos, alimentos e suprimentos médicos, comunicações de emergência e evacuação, proteção e segurança para territórios indígenas e soberania alimentar e resiliência da comunidade. O Fundo de Emergência da Amazônia tem o objetivo de arrecadar US$ 5 milhões nos próximos 60 dias para que as comunidades indígenas em todo bioma amazônico (Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Suriname e Venezuela) se protejam contra a pandemia.

O Artists United for Amazonia terá uma programação com performances musicais na sala de estar, entrevistas informativas, sabedoria indígena e conscientização. Além de diversos artistas do cinema e da música, o evento terá participação dos cientistas Thomas Lovejoy e Carlos Nobre (que têm alertado sobre o ponto a partir do qual a floresta começa a se transformar em savana). A lista completa pode ser encontrada no site e do vídeo de divulgação.
 
 

No momento, existem quase 120 mil casos confirmados de covid-19 e mais de seis mil mortes confirmadas na Amazônia. À medida que o novo coronavírus continua a se espalhar, os povos indígenas correm mais em risco e podem potencialmente enfrentar um etnocídio. 

Em abril, centenas de organizações assinaram uma moratória contra incursões na Amazônia e pediram pelo fim de todas as atividades destrutivas na Amazônia. "Não podemos esperar mais pelo nosso governo. Estamos em perigo de extinção", disse em discurso, Jose Gregorio Diaz Mirabel, coordenador geral da COICA (Coordenação de Organizações Indígenas da Bacia do Rio Amazonas) e membro do povo Wakeunai Kurripaco da Venezuela.

"Este evento faz parte de uma extraordinária aliança de organizações e indivíduos dedicados a preservar a região com maior biodiversidade do planeta", comenta Sarah duPont, fundadora da Amazon Aid Foundation e codiretora da River of Gold. 

Leila Salazar-López, diretora executiva da Amazon Watch, acrescentou: "A Amazônia e seus povos estão em estado de emergência devido às mudanças climáticas e à pandemia do covid-10. É um crime contra a natureza e um crime contra a humanidade. É hora de todos se unirem e agirem em defesa da floresta e em solidariedade com os povos indígenas e tradicionais da Amazônia."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade