Publicidade

Correio Braziliense

Victor Abrão lança projeto intitulado 'Duo das águas'

Depois de mais de 10 anos sem lançamentos, o cantor divulgou as canções 'Sereia' e 'A mulher que trabalha no rio'


postado em 29/05/2020 15:00

(foto: Bruno Meyer/Divulgação)
(foto: Bruno Meyer/Divulgação)
Após 10 anos afastado dos lançamentos de música, o cantor, compositor e ator, Victor Abrão divulgou duas canções inéditas nesta sexta-feira (29/5). Intituladas como Sereia e A mulher que trabalha no rio, o artista nomeou o projeto como Duo das águas. As canções marcam a reconexão do cantor com a criação musical.

A música Sereia fala sobre estar pleno de amor, de abundância e se conectar com outra pessoa, parecido com o momento em que as águas se conectam. O cantor explica que A mulher que trabalha no rio fala sobre a irreverência que ele encontrou dentro de si.

 

“É sobre o encontro com o arquétipo da mulher da natureza e das águas, que, por não ser um conhecedor de arquétipos, batizei de A mulher que trabalha no rio. É o encontro com esse arquétipo específico, que é uma mulher que encontrei dentro de mim, e que, com muita reverência, canta, celebra a vida, que é forte e sensível ao mesmo tempo, que também é mágica e vive na natureza e que ajuda a conectar meu rio, minhas emoções, criatividade, intuição - ao mar - ao todo, à grande intuição, à sociedade, ao nível mais alto de amor que pode existir”, diz Victor em entrevista ao Correio.

As canções trazem uma sonoridade diferente das que o cantor costumava criar na antiga banda Deus da Kaaba. Agora contam com o violoncelo de Nicolas Madalena e com a percussão de Caio Lívio. “É completamente diferente, embora a minha essência de criador seja a mesma. Neste novo projeto, trabalho só com o violão, e outros ritmos, como a bossa nova (Sereia) e o coco (A mulher que trabalha no rio). Então, antes eu tinha o frenesi adolescente de uma banda de rock, e que foi muito feliz. Mas sempre essa brasilidade maravilhosa morou dentro de mim e é realmente um prazer poder trabalhar, dançar, rir e amar com ela”, conta.

O artista não esconde a emoção de lançar músicas autorais após mais de 10 anos. “É super emocionante, realizador, porque é um trabalho gestado ao longo de anos, com muito carinho e que ficou super detalhado, desde às canções, à gravação e chegando a arte final, que ficou maravilhosa. Traz também muita ansiedade para as pessoas escutarem e espero que o trabalho chegue longe, porque realmente, o coração, a alma, a mente, estão todas aí”, completa.

*Estagiário sob supervisão de Adriana Izel

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade