Publicidade

Correio Braziliense

Plataforma MUBI apresenta programação do Festival Internacional de Curitiba

De 3 a 10 de junho, oito filmes de edições anteriores do festival estreiam no streaming


postado em 01/06/2020 20:00 / atualizado em 01/06/2020 18:29

Sol Alegria, de Tavinho Teixeira (Brasil, 2018), disponível na MUBI a partir de 7/6(foto: Reprodução/Internet)
Sol Alegria, de Tavinho Teixeira (Brasil, 2018), disponível na MUBI a partir de 7/6 (foto: Reprodução/Internet)
O streaming de filmes e plataforma de curadoria MUBI fechou uma parceria com o Olhar de Cinema - Festival Internacional de Curitiba para a exibição de títulos cinematográficos de outras edições do evento. De 3 a 10 de junho, um filme será lançado por dia. As produções ficarão disponíveis por 30 dias na plataforma, a partir da data de lançamento.

Ver essa foto no Instagram

Firmando nossa parceria com a plataforma de curadoria e streaming de filmes @mubibrasil , apresentamos a Edic%u0327a%u0303o Especial do festival a partir de 3 de junho com oito ti%u0301tulos presentes em edic%u0327o%u0303es anteriores do festival. As produc%u0327o%u0303es estara%u0303o disponi%u0301veis na plataforma da MUBI por um peri%u0301odo de 30 dias, a partir da data de estreia de cada um. Os filmes foram criteriosamente selecionados em conjunto entre a equipe de curadoria do Olhar de Cinema e tambe%u0301m da MUBI, para oferecer o melhor do festival ao pu%u0301blico da MUBI. Confira os filmes que fara%u0303o parte do especial Festival Olhar de Cinema na MUBI e os dias de suas estreias: 03/6 %u2013 El mar la mar, de Joshua Bonnetta e J.P. Sniadecki (Estados Unidos, 2017) 04/6 %u2013 A Vizinhanc%u0327a do Tigre, de Affonso Ucho%u0302a (Brasil, 2014) 05/6 %u2013 Um Conto de Inverno Proletariado, longa de estreia de Julian Radlmaier (Alemanha, 2014) 06/6 %u2013 As Hiper Mulheres, de Carlos Fausto, Leonardo Sette e Takuma Kuikuro (Brasil, 2011) 07/6 %u2013 Sol Alegria, de Tavinho Teixeira e Mariah Teixeira (Brasil, 2018) 08/6 %u2013 Espero a tua (re)volta, de Eliza Capai (Brasil, 2019) 09/6 %u2013 E agora? Lembra-me, de Joaquim Pinto (Portugal, 2013) 10/6 %u2013 Girimunho, longa de estreia dos brasileiros Helve%u0301cio Marins Jr. e Clarissa Campolina (Brasil/Espanha, 2011) Lembrando que para quem ainda na%u0303o e%u0301 assinante da MUBI eles esta%u0303o oferecendo 30 dias gra%u0301tis, so%u0301 acessar o link mubi.com/olhardecinema E na quarta dia 3, a%u0300s 18h, os diretores do festival Antonio Gonc%u0327alves Junior e Eugenia Castello fara%u0303o uma live abrir oficialmente a edic%u0327a%u0303o especial e para explicar melhor como ela ira%u0301 funcionar. Tambe%u0301m ira%u0303o trazer algumas novidades da edic%u0327a%u0303o oficial que ira%u0301 acontecer em outubro. Fiquem ligadxs aqui no nosso instagram! Em breve mais novidades! #olhardecinema #mubi #mubibrasil #festival #festivaldecinema #cinema #cine #filme #film

Uma publicação compartilhada por Olhar de Cinema - Curitiba IFF (@olhardecinema) em


Dentre os títulos selecionados, longas e curtas-metragens se juntam aos documentários. Diretores brasileiros como Affonso Uchôa, Eliza Capai, Carlos Fausto e Leonardo Sette fazem parte das produções. Filmes da Alemanha, de Portugal e dos Estados Unidos também integram a seleção, bem como coproduções brasileiras com a Espanha. 

“Nossos curadores escolheram alguns títulos nacionais e internacionais que imprimem o DNA MUBI e têm uma mensagem significativa a ser passada neste momento. Esperamos que esse especial na MUBI possa dar a visibilidade que o festival merece e atrair novos parceiros, para unir forças e permitir que a edição 2020 aconteça no final do ano”, conta a executiva Juliana Barbieri.

Confira a lista completa


3/6 – El mar la mar, de Joshua Bonnetta e J.P. Sniadecki  (Estados Unidos, 2017)
Com paisagens filmadas em 16mm pela janela de um veículo em movimento, é um documentário que aborda os perigos que imigrantes mexicanos enfrentam ao atravessar o deserto de Sonora para chegar aos Estados Unidos. Vencedor do Prêmio Caligari e de uma Menção Honrosa na Biennale em 2017.    

4/6 - A Vizinhança do Tigre, de Affonso Uchôa (Brasil, 2014)
Vencedor da Mostra de Cinema de Tiradentes em 2014 e também exibido na Viennale em 2019, é uma tocante narrativa sobre o cotidiano de quatro jovens do bairro Nacional, em Contagem - MG.

5/6 - Um Conto de Inverno Proletariado, longa de estreia de Julian Radlmaier (Alemanha, 2014)
Um castelo, uma coleção de obras de arte e um fabricante de armas. O longa aborda, de forma cômica, a sociedade de classes que vivemos e as formas de ignorar seus limites. Já exibido nos festivais internacionais de Rotterdam e de Viena.

6/6 - As Hiper Mulheres, de Carlos Fausto, Leonardo Sette e Takuma Kuikuro (Brasil, 2011)
Realizado por cineasta indígenas do Alto Xingu, o documentário foi selecionado para a Mostra Competitiva do Festival de Gramado em 2011, além de ter conquistado o Prêmio Especial do Júri. Com uma abordagem sensível e pessoal, a obra nos leva para dentro da comunidade indígena e ao maior ritual feminino, o Jamurikumalu.

7/6 - Sol Alegria, de Tavinho Teixeira (Brasil, 2018)
Pastores ocupam os principais cargos políticos do país, o apocalipse está próximo e uma excêntrica família comete um atentado e se refugia na sede da falange Sol Alegria, comandada por freiras nada convencionais. O longa foi selecionado para a 42° Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, além de já ter sido exibido nos festivais internacionais de Rotterdam e Hamburgo, e no Queer Lisboa.

8/6 - Espero a tua (re)volta, de Eliza Capai (Brasil, 2019)
Vencedor dos prêmios Peace Film Award e Amnesty International Film Prize na Biennale, o documentário é um poderoso retrato do movimento estudantil que ganhou força a partir de 2015 e ocupou escolas estaduais por todo o Brasil.

9/6 - E agora? Lembra-me, de Joaquim Pinto (Portugal, 2013)
Premiado no Festival de Locarno 2013 e exibido em Rotterdam,  é uma reflexão sobre o tempo e a luta de uma pessoa para continuar vivendo e aproveitando a vida. Com um olhar intimista e extremamente pessoal, o diretor português convida a conhecer a rotina de quem luta há quase 20 anos contra o HIV e a hepatite C.

10/6 - Girimunho, longa de estreia dos brasileiros Helvécio Marins Jr. e Clarissa Campolina (Brasil/Espanha, 2011)
Já exibido nos festivais internacionais de Veneza, Toronto e Rotterdam.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade