Publicidade

Correio Braziliense

Ex-jurada do 'America's got a talent' acusa produção de racismo

Gabrielle Union prestou queixa às autoridades da Califórnia, nos Estados Unidos, sobre o fato


postado em 05/06/2020 16:41 / atualizado em 05/06/2020 16:48

(foto: AFP / Jean-Baptiste Lacroix)
(foto: AFP / Jean-Baptiste Lacroix)
Ao alegar ter sofrido racismo durante as gravações do reality show America’s got a talent, a atriz e ex-jurada do programa, Gabrielle Union prestou queixa às autoridades da Califórnia, nos Estados Unidos, de acordo com a revista Variety.

As acusadas teriam sido as produtoras Syco, de Simon Cowell - um dos mais renomados produtores de talentos musicais do mundo -, FremantleMedia, além da emissora NBCUniversal. As denúncias teriam sido feitas ao Departamento estadual de Emprego Justo e Habitação. 

Após a demissão de Union, em 2019, surgiram diversas especulações a respeito de casos de discriminação recorrente durante o programa, como casos envolvendo o participante Jay Leno e comentários maldosos sobre o cabelo da ex-jurada.

Porém, teria sido recente a denúncia de Gabrielle Union, que acusa o presidente da NBC, Paul Telegdy de ter a ameaçado, visto que ela teria dito que procuraria a polícia pelas falas racistas do produtor. 

À Variety, o advogado da atriz explicou que é lamentável a negação da NBCUniversal sobre o assunto: "É francamente triste, mas não surpreendente, que, em vez de abordar sua própria discriminação racial, a NBC queira tentar evitar os problemas sistêmicos que permeiam sua empresa."

Já em nota oficial enviada à revista, a equipe da NBCUniversal desmentiu a versão de Gabrielle Union e disse que investigações externas mostram que no reality há “uma cultura abrangente de diversidade no programa".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade