Diversão e Arte

Série literária 'Como sobrevivi à pandemia' retrata a quarentena

Em quatro livros, a saga de Elen Geraldes e Janara Sousa mostra diferentes perspectivas do pandemia

Adriana Izel
postado em 09/06/2020 06:02
Elen Geraldes e Janara Sousa escrevem série de ficção sobre a pandemiaAs conversas que tiveram com os alunos da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília (UnB) foram a grande motivação para que as jornalistas, amigas e professoras Elen Geraldes e Janara Sousa se unissem para escrever uma série literária de ficção em formato de e-book que tem a quarentena como temática, a coleção Como sobrevivi à pandemia.

;Eu e Elen temos pelo menos 20 anos de parceria. Já tínhamos escrito muitos livros sobre nossos temas de pesquisa. Quando começou a pandemia, queríamos comunicar com as pessoas e com o maior número possível. A gente decidiu fazer ficção falando sobre esse momento, dialogando e fazendo um testemunho do que está acontecendo agora;, revela Janara Sousa.

Como sobrevivi à pandemia nasceu em meio às angústias e as preocupações delas e dos alunos, mas com um olhar de esperança, ao mesmo tempo que alerta para os riscos da covid-19, que continua em crescimento no Brasil. ;A gente escreveu muito no começo e queria apontar que estamos num momento de risco. Mas a gente não pode só apresentar o risco, o apocalipse. Então, tem a redenção dos personagens;, explica Elen Geraldes.

Série


O primeiro livro da série lançado foi Perto de mim, escrito em apenas cinco dias e que aborda a experiência da personagem Alice, 32 anos, uma jovem mulher de classe média em uma grande cidade que experimenta a solidão e o tédio. Apesar do enredo ser bastante empático, ele representa apenas um olhar da quarentena. ;A pandemia é vivida de muitas formas. A gente não pode dar um olhar que seja único;, comenta Janara. Por isso, as autoras decidiram lançar mais outros três livros que contemplassem outras perspectivas.

O segundo, que também já foi publicado nas plataformas digitais, é A senhora das bananas que traz o relato de Terezinha de Jesus da Silva Pereira, 26 anos, vendedora de bananas e moradora de uma comunidade periférica. O terceiro livro em processo de escrita aborda o teletrabalho e os desafios de uma mulher que precisa fazer a gestão da casa e da família, composta por mais dois adolescentes e uma pessoa idosa, enquanto tem as demandas do ofício. No quarto e último livro da série estará a história de um homem que trabalha como entregador de delivery, o ;herói do nosso cotidiano;, como define a dupla, e de mais três personagens.

Além de comunicar e dar esperança, o projeto Como sobrevivi à pandemia também tem um lado solidário. Parte da renda será destinada na contribuição para compra de equipamentos de proteção individual para o Hospital Universitário de Brasília (HUB). ;Somos dessa comunidade e estamos sempre tentando fazer essa ponte, ajudar, participar e se envolver. Sabemos da importância disso;, comenta Elen.

Capa do livro Perto de mim: Como sobrevivi à pandemia
Parte de mim: Como sobrevivi à pandemia
De Elen Geraldes e Janara Sousa. Ilustração de Larissa Mangabeira e Laianny Mangabeira. Disponível na Amazon.
Capa do livro A senhora das bananas: Como sobrevivi à pandemia
A senhora das bananas: Como sobrevivi à pandemia
De Elen Geraldes e Janara Sousa. Ilustração de Júlio César Silva. Disponível na Amazon.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação