Diversão e Arte

Filme de Caco Ciocler, Partida estreia com forte apelo político

Partida é protagonizado por Georgette Fadel, uma atriz que não compactua com os rumos direitistas do país

Ricardo Daehn
postado em 18/06/2020 10:34

Georgette Fadel (E) protagoniza o documentário Partida, de Caco Ciocler

Seis anos depois da exibição do documentário Esse viver ninguém me tira, apresentado no Festival de Cinema de Gramado, o ator e diretor Caco Ciocler retorna com outro documentário que segue a mesma veia afetiva: Partida.

Centrado na forte presença da atriz e ativista política Georgette Fadel, uma das fundadoras Companhia do Latão paulistana e lembrada ainda por Segunda chamada (série exibida pela TV Globo), o filme, incluído no cardápio de VoD das plataformas Now, Oi Play, Vivo Play, Petra Bela Artes à la Carte, Filme Filme e Looke, tem denso conteúdo político.

[SAIBAMAIS]

Entre jogos cênicos e registro da realidade, Partida segue uma caravana de artistas (da qual tomam parte Ciocler e Georgette) desejosos do encontro com o ex-presidente uruguaio Pepe Mujica. Há a vontade de aprendizado com o presidente visto como bastião de sapiência e de inspiração.

Pautado em embate, admirações e respeito, o longa especula da fundação do Partida, legenda partidária concentrada nas urgências femininas. A ser exibido ainda no Belas Artes Drive-In (São Paulo), Partida conta com profissionais experientes de cinema, na viagem: as diretoras de fotografia Julia Zakia e Manoela Rabinovitch, além do diretor de som português Vasco Pimentel.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação