Diversão e Arte

Cassiane muda clipe após ser acusada de romantizar violência doméstica

Cantora gospel pediu perdão e lançou uma nova versão do clipe e mostra mulher denunciando um marido agressor. Na versão original, a vítima apenas orava e perdoava

Philipe Santos
postado em 20/07/2020 08:33

Nova versão do clipe mostra agressor sendo presoA gravadora gospel MK Music mudou, no final da noite desse domingo (19/7), o clipe da música A Voz, da cantora Cassiane, após o vídeo original ser alvo de críticas nas redes sociais. Publicado na última sexta-feira (18/7), a primeira versão mostrava uma mulher vítima de violência doméstica dizendo que oraria e perdoaria o marido agressor. Em nenhum momento se fala em denunciar.

Desde o lançamento, o clipe passou a ser criticado e, nesse domingo (19/7), a polêmica cresceu ainda mais após ativistas reclamarem nas redes sociais. Entre os críticos, está o youtuber Felipe Neto. ;Meu Deus do céu; Que que aconteceu nesse clipe? Meu Deus do céu. MEU DEU DO CÉU!!”, escreveu, no Twitter.

A postagem de Neto foi em cima de um tuíte do ativista e ex-BBB Rodrigo França. ;O clip é cruel, violento, desonesto e criminoso. Romantizar qualquer tipo de violência é perversidade. Denuncie! LIGUE 180;, pediu ele nas postagem.

Na nova versão do clipe, a história da mulher que apanha do marido que consome bebida alcoólica é mantida. No entanto, dessa vez, o vídeo mostra a mulher ligando para o 180 e o marido sendo preso.

A carta com a vítima dizendo que orará e perdoa o marido é mantida. "Reconheça a voz de Deus. Deixa ela estremecer o seu coração. O timbre santo do Senhor há de te curar, pois Ele é a Voz que restaura a vida. Oro por você. Perdoo você", diz o bilhete.

Cassiane pede perdão

Diante das críticas, a cantora Cassiane pediu, nesse domingo, ;com humildade, perdão a todos; através de uma rede social e informou que procurou a gravadora para mudar o clipe. ;Se me conhecesse ou pelo menos respeitassem minha história (de 39 anos dando frutos)... Com amor falariam: ;Cassiane, seria bom colocar a informação da denúncia no clipe;;(...) Recebi vários ataques e julgamentos terríveis;, reclamou.

A cantora também afirmou que jamais falaria para alguém não denunciar e alega que o clipe incentiva a denúncia. ;Porém, na mesma hora falei com a gravadora, e a MK prontamente entendeu que houve uma falha ao aprovar sem essa informação (de denunciar) tão importante (...) Sou humilde e aceito que houve uma falha, um erro em não expor sobre a denúncia explicitamente;, disse.

[VIDEO1]


Segundo a gravadora, o roteiro original do clipe não teve interferência de Cassiane. ;Mas, se não foi compreendida por alguns; Com muito amor, responsabilidade, humildade, e para que esta mensagem poderosa alcance e inspire muitas vidas, sem nenhum ruído. muito em breve vocês poderão assistir a nova versão;, informou antes do novo clipe ser lançado.

Veja as críticas:

[VIDEO2]

[VIDEO3]

[VIDEO4]

[VIDEO5]

Veja a nova versão do clipe:

[VIDEO6]

Busque ajuda

; Polícia Militar ; 190

; Ministério dos Direitos Humanos ; Disque 100

; Polícia Civil ; 197 ou opção 3 ou 61 98626-1197 (WhatsApp)

; Delegacia Online ; https://www.pcdf.df.gov.br/servicos/197/violencia-contra-mulher

; Delegacias regionais

Atendimento 24 horas por dia

; Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam I e II)

Asa Sul: Entrequadra 204/205 Sul

Telefone: 3207-6172

Ceilândia: Prédio da 15; Delegacia de Polícia ; QNM 2, Área Especial, Conjunto G/H - Centro

Atendimento ininterrupto

; Centro de Atendimento à Mulher (Ceam)

De segunda a sexta-feira, das 10h às 16h30

Asa Sul: Estação do Metrô 102 Sul

Telefone: 3323-7264

Ceilândia: QNM 2, Conjunto F, Lote 1/3 ; Ceilândia Centro

Telefone: 3373-6668

Planaltina: Jardim Roriz, Área Especial, Entrequadras 1 e 2 ; Centro

Telefone: 3389-8189 / 99202-6376

; Programa de Prevenção à Violência Doméstica (Provid) da Polícia Militar

Telefones: 3910-1349 / 3910-1350

; Núcleo de Assistência Jurídica de Defesa da Mulher (Nudem)

Telefone e WhatsApp: 99359-0032

E-mail: najmulher@defensoria.df.gov.br

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação