Diversão e Arte

Primeiro romance de Cyro Leão enaltece palavra como alívio para a tragédia

'Rafaela em queda' é descrita pelo autor como um 'thriller existencialista', no qual a literatura é uma bóia em meio ao naufrágio

Devana Babu*
postado em 30/07/2020 08:00
Cyro Leão
Rafaela em queda, primeiro romance do escritor paulista Cyro Leão, foi lançado em novembro de 2019. O autor teve a chance de, antes do advento da pandemia, encontrar o público em uma noite de autógrafos e vender boa parte dos 250 exemplares impressos pela editora Patuá, que trabalha com um esquema sob demanda. A primeira remessa esgotou pouco antes do início da quarentena, e uma nova tiragem já está disponível para ser adquirida pelo site da editora ou pela Amazon, por R$ 40, mais o frete.

A trama é centrada em três personagens: Rafaela, Teles e Rôme. ;São pessoas que não se encontraram, pouco encaixados na vida. Tanto em um sentido pessoal, das histórias de vida deles, quanto de uma maneira mais metafísica;, descreve o autor. Rafaela, que protagoniza e empresta o nome ao título da obra, é mais perdida do que os outros dois personagens, com os quais acaba se encontrando por circunstâncias do acaso.

Delirante e mais desencontrada do que os outros dois personagens, Rafaela sofre com os questionamentos sobre o mistério e o sentido da vida, e vê na literatura algum bálsamo, mas caminha inevitavelmente para um destino trágico, que vem justo quando a vida parecia que ia dar uma virada. ;Rafaela em queda é a trajetória da tragédia da Rafaela. De certa forma, o título já dá um spoiller: se tá em queda, não deve ter coisa boa no fim;.

Narrativa do livro Rafaela em queda

A segunda tiragem do livro já está à venda pelo site da Editora Patuá e pela AmazonNarrado de forma não linear, o livro é dividido em três atos. O primeiro introduz e desenvolve os personagens. O segundo chama-se O livro de Rafaela, e baseia-se nos escritos da personagem-título que são descobertos e publicados após a tragédia. O terceiro é um apêndice que amarra alguns contos, mas deixa a conclusão em aberto, ;pra deixar claro que a vida não vai ter um desfecho;.

Mesmo não querendo se limitar a rótulos, Cyro gosta de definir o livro como um ;thriller existencial;: ;Tem uma pegada de thriler, mais de angústia do que de suspense, mas também uma questão existencial que abrange, paira por todo o livro: essa grande busca nossa pelo mistério. Eu gosto muito de livros de mistério, e um grande mistério que a gente tem é o da vida;, conceitua.

Modestamente, Cyro prefere não citar os autores que admira como influências, como Graciliano Ramos, Dostoievsky ou Rainer Maria Rilke. ;Para mim, são tão inatingíveis, que seria estranho falar;. Mas admite que pode se identificar algo de kafkiano em alguns momentos e uma tentativa de homenagear e fazer referências a Machado de Assis. Para ele, um dos maiores.

A influência maior, na opinião do autor, é a do amor pela palavra justa, pela textura como elemento fundamental do texto, tanto quanto o conteúdo. Não por acaso a personagem principal é uma escritora. ;O coração do livro é o livro dela. a busca por uma resposta e ter na literatura, no escrever, no ler, uma válvula de escape que, se não dá resposta, pelo menos dá algum alívio.;

Outra influência marcante, para o autor, é a do rock pesado, sobretudo a banda Nine Inch Nails e o líder Trent Reznor, que é citado no livro, além da música Hurt, clássico da banda. Vale destacar ainda o quê de tragédia grega e uma visão trágica que permeia a obra. ;A vida é uma grande tragédia. Mas o tema existencial acho que é o que mais me conduz a buscar uma literatura que faça sentido em ser mais trabalhada, para mim. ;

O autor Cyro Leão

Cyro Leão trabalha na área de comunicação de eventos, tendo sido responsável por atrações como a exposição Jardim dos Insetos Gigantes. O primeiro livro que publicou foi Confusão uma coletânea de poemas produzidos desde a adolescência. Passou mais de oito anos trabalhando no que viria a ser Rafaela em queda, o primeiro romance, e já trabalha em mais três volumes: um de contos, outro de poemas e um novo romance.

*Estagiário sob a supervisão de Adriana Izel

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação