Diversão e Arte

Horóscopo do dia: confira o que os astros revelam para este domingo (2/8)

Veja o horóscopo por Oscar Quiroga para desvendar este domingo, 2 de agosto, de acordo com cada signo

Oscar Quiroga
postado em 02/08/2020 06:00

Horóscopo deste domingo, 2 de agosto

Caos e ordem

Data estelar: Sol e Urano em quadratura; Lua Vazia das 11h até 15h12, horário de Brasília

Em algum momento obscuro de tua história pessoal tu te decepcionaste tão profundamente com o que testemunhaste, que não te foi possível absorver esse impacto e o metabolizar devidamente. Com o tempo, tua decepção foi se transformando numa fúria, normalmente contida e demonstrada através de sarcasmo, pontos de vista destrutivos e opositores, e desconfiança; mas também se expressou abertamente em ataques destrutivos. Assim é teu flerte com o caos, te instando a imaginar que a verdade não estaria na estruturação de qualquer ordem, mas naquilo que a subverte. Sinto informar que isso, apesar de legítimo, é fruto de imaturidade, inclusive porque, mesmo nesse caos com que tu flertas, tu enxergas a perspectiva de uma ordem que te acolhe e conforta. O humano que tu és, no entanto, serve para colocar ordem no caos.

ÁRIES (nascimento entre 21/3 a 20/4)

O terreno seguro e previsível pelo qual você gostaria de transitar está disponível, mas não de imediato. O que se apresenta a você agora é o contrário, porém, não se preocupe, porque essa é uma condição passageira.

TOURO (nascimento entre 21/4 a 20/5)

Dizer o que fará não será suficiente dessa vez, porque essas promessas já foram repetidas em outros momentos da vida. Agora é quando somente a prática pode desanuviar o cenário para você se livrar de peso excessivo.

GÊMEOS (nascimento entre 21/5 a 20/6)

Analise o mais friamente possível todas as perspectivas que as novas informações trouxeram, porque, de fato, não haveria necessidade de se precipitar com nada, e quanto mais tempo você ganhar, melhor será para todos.

CÂNCER (nascimento entre 21/6 a 21/7)

A melhor ajuda nem sempre é na forma de uma mão estendida amorosamente na sua direção. Por vezes, a melhor ajuda vem na forma de uma adversidade, que obriga você a deter o movimento e repensar tudo novamente.

LEÃO (nascimento entre 22/7 a 22/8)

Seria impossível, dadas as condições do momento, colocar em prática de imediato tudo que resulta das informações que você recebeu. É preciso, por isso, tomar um tempo para refletir melhor, mesmo que isso pareça impossível.

VIRGEM (nascimento entre 23/8 a 22/9)

Faça o possível para se aproximar das pessoas que, eventualmente, poderiam estender uma mão amiga. Tenha em mente, porém, que elas podem não estar disponíveis de imediato. Por isso, insista, continue se aproximando delas.

LIBRA (nascimento entre 23/9 a 22/10)

Os objetivos são claros, porém, não acontece o mesmo com a necessária rede de vínculos que há de ser sustentada para tudo dar certo. Não importa, os perrengues são temporários e os planos maiores são permanentes.

ESCORPIÃO (nascimento entre 23/9 a 21/11)

Ninguém gosta de ouvir verdades, porém, elas continuam sendo libertadoras. Neste momento, você faria bem em colocar em prática todas as verdades que foram postas sobre a mesa, tomando decisões e iniciativas pertinentes.

SAGITÁRIO (nascimento entre 22/11 a 21/12)

Para assegurar o que é de seu merecimento, este é um momento delicado, que não comporta rompantes, porque dessa maneira, em vez de você assegurar o que é seu, se colocaria numa posição de vulnerabilidade. Isso não.

CAPRICÓRNIO (nascimento entre 22/12 a 20/1)

Teimar ou não teimar, eis a questão! De fato, sua alma nem se propõe a analisar essa questão, dá por sabido que deva seguir em frente com os planos previamente traçados. Mas, seria interessante mudar um pouco.

AQUÁRIO (nascimento entre 21/1 a 19/2)

Mais do que nunca, é preciso ter muito clara a escala de valores que serve para você julgar a realidade e tomar decisões sobre o resultado de seus julgamentos. Não se deve julgar, você dirá. Sem julgamento, não há escolha.

PEIXES (nascimento entre 20/2 a 20/3)

Ninguém em seu são juízo gosta de adversidades, porém, é proverbial que há males que vêm por bem, porque se tudo continuasse às mil maravilhas, a inércia e a indolência tomariam conta do cenário e atrapalhariam.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação