Divirta-se mais

Na estante

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 31/01/2020 04:17

ACORDEI APAIXONADO POR VOCÊ
DE TAMMY LUCIANO. EDITORA VALENTINA, 264 PÁGINAS. PREÇO MÉDIO: R$ 39,90.
A escritora Tammy Luciano chega ao décimo livro. Na obra, a autora apresenta um romance que tem a Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, como cenário. Nesse ambiente, o leitor acompanha a história de Carlos Rafael, o Cafa, um típico garoto carioca que vive intensamente a juventude saindo com várias garotas. Até que, tudo muda, quando ele é atacado por três homens e passa a questionar as decisões tomadas na vida. Superação de traumas, relacionamentos e violência contra a mulher fazem parte dos conflitos do livro.

O Tom da Takai
CD de Fernanda Takai com 14 faixas. Lançamento Deck. Preço sugerido: R$ 29,90.
Roqueira, vocalista e líder da banda mineira Pato Fu, Fernanda Takai incursionou, pela primeira vez, no universo da MPB em 2007, quando gravou o CD Onde brilhem os olhos seus, em homenagem a Nara Leão. Há dois anos, fez uma série de shows pelo Brasil ; inclusive em Brasília ; ao lado de Roberto Menescal, cantando bossa nova. Aquele encontro resultou em O Tom da Takai, álbum no qual interpreta canções de Tom Jobim, compostas com parceiros. A leveza e a voz suave, sempre bem colocada, de Fernanda podem ser apreciadas nas 14 músicas da obra do Maestro Soberano nesse disco. Ícones da Bossa Nova, Roberto Menescal e Marcos Valle dividiram a produção e os arranjos e tocam guitarra e piano nesse projeto gravado ao vivo em 25 de julho de 2019. (Irlam Rocha Lima).

A hora do amor
(The touch, Suécia/ Estados Unidos, 1971). De Ingmar Bergman. Com Bibi Anderson, Elliott Gould, Max von Sydow, Maria Nolgard e Sheila Reid. Versátil DVD, drama, 113 min. Não recomendado para menores de 14 anos.
Os atores de Bergman são os de praxe (von Sydow e Bibi), mas com um reforço extra: a presença do norte-americano Elliott Gould (visto, hoje em dia, em O método Kominsky). Ainda que diluídos, estão os dramas que movem as fitas de Bergman: a infidelidade, o entrosamento de almas e abordagem feminista, tudo num filme colorido, posterior à A paixão de Ana (1969), mas anterior ao hits Gritos e sussurros (1974) e Face a face (1976). Na trama, um arqueólogo perturbado fica absorvido pela luminosidade da esposa de um amigo médico. A atração é mútua. Além da corajosa nudez de Bibi (morta em abril do ano passado), o filme parece testar os modelos esperados de liberdade apregoados por avançados suecos. (Ricardo Daehn)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação