Divirta-se mais

A resistência

Bacurau marcou o ano de 2019 e a história do cinema brasileiro, se tornando clássico instantâneo

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 13/03/2020 04:17
Bacurau conta com Sônia Braga e grande elenco no filme

Na porta da cidade, a placa ;Bacurau, se for vá na paz;, mas o filme não conta uma história de muita paz para os tranquilos moradores do local. O longa que marcou o ano do brasileiro em 2019, e causou enormes filas nos cinemas, mostra uma forte crítica do país para o mundo e inspirou elogios do diretor ganhador de quatro Oscar com Parasita, Bong Joon-Ho. Bacurau é atração do fim da noite de domingo no Telecine Premium.

Em um futuro não tão distante, a vida dos moradores da pacata cidade de Bacurau, no interior de Pernambuco, passa a ser ameaçada de forma misteriosa. O município é tirado do mapa, tem caminhão-pipa furado de balas, perde o sinal de telefone e internet, mas o estado de alerta começa a acender quando fazendeiros que vivem nas proximidades são brutalmente assassinados.

Bacurau é um filme sobre resistência, sobre o Nordeste e, mais do que tudo, um filme que traz uma crítica atemporal à forma de como o país vem sendo gerido e a síndrome de vira-lata que o povo brasileiro tem perante as culturas estrangeiras, principalmente norte-americanas e europeias.

O filme foi vencedor do prêmio do Grande Júri no tradicional Festival de Cannes, na França. O longa é uma crítica ferrenha ao Brasil contemporâneo e, ao mesmo tempo, apresenta faíscas de esperança ao povo brasileiro.

Dirigido por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, a produção estreou nacionalmente em 2019, mas só chegou em 2020 nos cinemas dos Estados Unidos e Europa, se tornando elegível ao Oscar de 2021.

SERVIÇO
Bacurau
Bacurau, às 22h no Telecine Premium. Não recomendado para menores de 16 anos

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação