Publicidade

Correio Braziliense

Cresce pressão nas contas externas

 


postado em 04/05/2008 10:40 / atualizado em 04/05/2008 10:41

A classificação do país como economia de investimento seguro não trouxe só notícias boas. O anúncio do grau de investimento na mesma semana em que foram divulgados os números da balança comercial de abril e do rombo nas contas externas, que tende a ficar maior e vem se deteriorando aceleradamente, jogou luz sobre três desafios que o Brasil tem agora pela frente: uma balança comercial com desempenho fraco; vai entrar mais dinheiro, mas também vai sair muito dinheiro em remessas de lucros das empresas; se houver uma forte retração da economia mundial, pode secar a fonte de investimentos fartos para tapar o buraco das contas externas. Em síntese, como diz Júlio Sérgio Gomes de Almeida, consultor do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) e ex-secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, “ter como financiar o déficit (das contas externas) não muda o fato de que o déficit existe”. Explicando melhor: “O sujeito decide trabalhar menos, passa a receber metade, mas, de repente (com o grau de investimento), ganhou um cartão de crédito com saldo ilimitado.” O grau de investimento pode agravar a deterioração da balança comercial e elevar as remessas de dinheiro ao exterior na forma de lucros e dividendos. É esperado um aumento no volume de capital estrangeiro aplicado aqui. Essa avalanche de dólares vai jogar a cotação da moeda estrangeira para baixo, piorando o resultado da balança comercial. Além disso, os novos investimentos vão gerar mais lucros e dividendos a serem remetidos ao exterior. Por isso, o déficit nas transações correntes tende a bater novos recordes. Para Gomes de Almeida, do Iedi, o Brasil não enfrentará problemas este ano. “Talvez em 2010 ou um pouco mais”, calcula. O início da próxima década é considerado um período crítico, que poderá ser superado quando os novos campos de petróleo e gás começarem a ser explorados e o Brasil passar a exportar esses produtos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade