Publicidade

Correio Braziliense

Taxa básica de juros subirá mais

Aumento da inflação pressiona o Banco Central a elevar a Selic, atualmente em 11,75% ao ano. Economistas começam a avaliar uma alta superior a dois pontos percentuais até dezembro


postado em 10/05/2008 09:04 / atualizado em 10/05/2008 09:06

O mercado está refazendo as contas e já começa a considerar a hipótese de que a taxa básica de juros (Selic), atualmente em 11,75% ao ano, possa ter um aumento superior a dois pontos percentuais até dezembro para conter a alta dos preços ao consumidor. No último Boletim Focus, pesquisa semanal do Banco Central com cerca de 100 analistas e consultores, era estimada uma Selic de 13% para final de 2008. “As surpresas negativas dos últimos índices de inflação e a persistência de indicadores da atividade econômica aquecida reduzem as chances de termos um ciclo de alta de juros de baixa magnitude. Nesse sentido, a probabilidade de um ciclo de aperto monetário superior a dois pontos é crescente”, comenta a economista-chefe do Banco Fibra, Maristella Ansanelli. A economista-chefe do Banco Real, Zeina Latif, reforça que o cenário de inflação não é benigno e poderá exigir aumentos dos juros além dos previstos pelo mercado. Ela explica, no entanto, que o repasse da expansão dos custos de produção para o consumidor deve ser limitado pela concorrência de importados e o enfraquecimento do real frente ao dólar. “A discussão agora é se o Copom vai aumentar os juros em dois pontos percentuais até o final de 2008. Não dá para descartar essa aceleração dos juros”, acrescenta. Leia mais na edição impressa do Correio Braziliense

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade