Publicidade

Correio Braziliense

Preço do BRB sai em outubro

 


postado em 06/08/2008 08:29 / atualizado em 06/08/2008 08:31

O Governo do Distrito Federal lançou os pré-requisitos para contratar a empresa de consultoria que fará a avaliação econômico-financeira do Banco de Brasília (BRB). Desde segunda-feira à noite o edital de licitação de pregão eletrônico está disponível no site do Sistema de Controle e Acompanhamento de Compras e Licitações e Registro de Preços do DF, e-Compras. Quando ficar pronto, o levantamento servirá de base para que a venda da instituição financeira seja ou não levada adiante. A abertura das propostas está marcada para a próxima quinta-feira. Ronaldo Medina, secretário de Fazenda do Distrito Federal, explica que, ao contrário da primeira auditoria feita pelo próprio BRB, o trabalho que está sendo encomendado é bem mais complexo. Segundo ele, o prazo para a conclusão da pesquisa é de 60 dias a partir da entrega da papelada. “Esse trabalho permite que a gente tenha uma radiografia do banco. De repente, o governo pode chegar à conclusão de que tem condições de manter o banco e de dar competitividade a ele”, diz o secretário. Embora o objeto do edital seja taxativo, especifique que a prestação definirá o “valor justo” do BRB e que o procedimento respeita a “legislação que regula o processo de alienação”, Medina afirma que o GDF ainda vai avaliar as possibilidades. “Não tem decisão sacramentada de venda. Esse processo não tem nenhum comprometimento nesse sentido, de que se tenha de chegar a uma solução de negociação. Nenhuma das partes está obrigada a fechar o negócio”, completa. O valor estimado no edital para a realização dos serviços é de R$ 2,9 milhões. Negociações O maior interessado em adquirir o BRB é o Banco do Brasil. Em setembro do ano passado o BB comunicou oficialmente a intenção de incorporá-lo, enviando fato relevante à Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Na segunda-feira, o Correio informou que o Banco do Brasil pretende fechar a negociação e arrematar o Banco de Brasília até dezembro. O BB está seguro de que o negócio é vantajoso. Para o banco estatal, a absorção acontecerá de forma rápida e sem traumas. O BRB conta com R$ 4,2 bilhões de ativos totais, possui 2.232 empregados e 478.876 contas-correntes. A empresa de auditoria ou o consórcio que será contratado para fazer o levantamento deverá apontar a real situação econômica, financeira, administrativa e legal de todo o conglomerado que compõe o Banco de Brasília. Será feita ainda uma avaliação de riscos inerentes ao negócio, além de um completo estudo voltado às áreas fiscal, trabalhista e comercial. Segundo a assessoria do BRB, o banco não irá se pronunciar sobre o lançamento do edital.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade