Publicidade

Correio Braziliense

Trabalhadores terceirizados ameaçam cruzar os braços

 


postado em 30/11/2008 10:42 / atualizado em 30/11/2008 10:43

O impasse em torno do pagamento de atrasados dos funcionários terceirizados da administração pública continua e muitos ameaçam cruzar os braços na próxima semana. Os trabalhadores reclamam que as empresas, principalmente a Montana Soluções Corporativas e a Conservo, não estão repassando os salários e os benefícios, como tíquete-refeição e vale-transporte, em dia. Além disso, os que tiveram o contrato rescindido, como os da Conservo, querem garantias de que receberão todos os direitos trabalhistas. Caso não consigam, o governo federal e a companhia deverão ser adicionados judicialmente. Normalmente, a União acaba pagando o pato. Greves Alegando falta de pagamentos, o Sindicato dos Trabalhadores de Processamento de Dados do DF (Sindpd-DF) prepara greve de terceirizados. Segundo a Central Única dos Trabalhadores (CUT-DF), os funcionários ligados ao Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio, Conservação, Trabalho Temporário e Serviços Terceirizáveis (Sindiserviços) também estão dispostos a cruzar os braços. O diretor do Sindpd-DF, Azel de Alencar, disse que a Montana não está repassando os impostos recolhidos do salário do trabalhador para Receita Federal e, por conta disso, muitos funcionários caíram na malha fina. A empresa, por meio de nota, esclareceu que está com seus impostos e tributos federais regularizados. Além disso, frisou que quitou a maior parte dos benefícios que estavam pendentes, sendo que os demais serão pagos no início da próxima semana. “A companhia caminha para estabilizar sua situação que foi momentaneamente afetada por um problema de fluxo de caixa”, informou a Montana.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade