Economia

Corte de IR é mínimo, diz ex-secretário da Receita

;

postado em 13/12/2008 10:05
O pacote anticrise anunciado pelo governo para incentivar o consumo no País, principalmente da classe média, é bem-vindo, mas insignificante sobre a renda disponível dos brasileiros, na opinião do consultor tributário e ex-secretário da Receita Federal Everardo Maciel. ;O impacto máximo que as medidas poderão ter para o bolso do contribuinte é algo em torno R$ 90 por mês. Em alguns casos, chega a ser uma fatia insignificante;, disse ele, referindo-se aos cortes anunciados pelo governo para o Imposto de Renda da Pessoa Física. A nova tabela do IRPF entra em vigor no próximo dia 1º e vai reduzir a carga tributária para todos os contribuintes. Hoje existem duas alíquotas: 15% e 27,5%. Foram criadas mais duas: 7 5% e 22,5%. O ganho mensal máximo que um contribuinte terá será de R$ 89,50. No total, com as outras medidas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos automóveis e do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) do crédito, a renúncia fiscal do governo será de R$ 8,4 bilhões. Na opinião de Maciel, o pacote terá apenas um resultado psicológico sobre o consumidor brasileiro. ;O governo está pagando caro para lançar medidas que terão meramente efeito psicológico;, disse. Para o consultor tributário, o montante que o governo pode deixar de arrecadar com as medidas não está sendo compensado como deveria, por conta do elevado gasto público. ;Todas as medidas são no sentido de aumentar os gastos correntes do governo e tratam-se de gastos irreversíveis;, afirmou. Ele disse, no entanto, que não vê nenhuma disposição do governo em adotar uma política de austeridade fiscal para conter os gastos públicos.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação