Economia

Bolsas europeias fecham em baixa com setor bancário e de energia

;

postado em 02/02/2009 15:35
As Bolsas europeias fecharam em baixa nesta segunda-feira (2/02). As ações dos bancos e do setor de energia foram os destaques entre as baixas do dia. Além disso, os indicadores econômicos divulgados hoje nos EUA não trouxeram ânimo para os negócios. A Bolsa de Londres fechou em baixa de 1,73% no índice FTSE 100, ficando com 4.077,78 pontos; a Bolsa de Paris teve baixa de 1,48% no índice CAC 40, para 2.930,05 pontos; a Bolsa de Frankfurt teve baixa de 1,55% no índice DAX, fechando com 4.271,04 pontos; a Bolsa de Milão teve baixa de 2,17% no índice MIBTel, que ficou com 13.940 pontos; a Bolsa de Amsterdã teve queda de 1,06% no índice AEX General, que ficou com 245,96 pontos; e a Bolsa de Zurique caiu 2,33%, ficando com 5.166,96 pontos no índice Swiss Market. Perdas Entre os bancos, os papéis que que mais perderam hoje foram os do BNP Paribas, Credit Agricole e Société Générale. Também fecharam em queda as ações do Santander, UBS e Deutsche Bank. Na Alemanha, os investidores ainda reagiram com pessimismo depois que a companhia do setor imobiliário Hypo Real Estate Holding desfez os rumores de que o governo alemão estaria preparando sua nacionalização. No dia 21 de janeiro, o Hypo Real Estate conseguiu uma ajuda de cerca de US$ 15 bilhões do governo. Com isso, a empresa acumula garantias estatais de cerca de US$ 54 bilhões. No dia 19, o ministro das Finanças da Alemanha, Peer Steinbrück, descartou a possibilidade do governo adotar novas iniciativas de ajuda aos bancos além do programa de resgate já em funcionamento. Ele ainda descartou a criação de uma instituição voltada a comprar os papéis de alto risco dos mercados financeiros para aliviar as instituições de crédito. A chanceler alemã, Angela Merkel, já apresentou um novo pacote de cerca de US$ 64 bilhões para combater a crise econômica. Entre as medidas anunciadas, há redução de impostos e mais investimentos em infraestrutura pública. Segundo Merkel, trata-se do maior estímulo à economia da história do país. Em novembro do ano passado, o governo havia anunciado um pacote inicial de cerca de US$ 40 bilhões. No setor de energia, caíram as ações das petrolíferas Royal Dutch Shell, Eni e Total. EUA Nos EUA, o Departamento do Comércio informou hoje que os gastos do consumidor americano tiveram uma queda de 1% em dezembro, após uma queda de 0,8% registrada em novembro (contra previsões de queda de 0,9%). Os salários dos americanos, por sua vez, tiveram uma queda de 0,2% em dezembro, contra uma queda de 0,4% um mês antes. Além disso, a taxa de poupança dos americanos teve um crescimento no período, o que indica que menos recursos estão sendo reservados para gastos, sinalizando novas quedas no ritmo da economia no futuro próximo. Já o Instituto de Gestão de Oferta (ISM, na sigla em inglês) informou que a atividade no setor manufatureiro americano teve ligeira recuperação em janeiro, mas ainda assim marcou seu 12° mês consecutivo de contração. O índice de atividade do setor ficou em 35,6 pontos no mês passado, contra 32,9 pontos em dezembro. Leituras abaixo de 50 pontos indicam contração da atividade e abaixo de 41 pontos indicam recessão recessão econômica. O dado do mês passado, no entanto, superou as previsões dos analistas.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação