Publicidade

Correio Braziliense

GDF dá benefício fiscal à Oi

 


postado em 19/05/2009 08:44 / atualizado em 19/05/2009 10:33

O governo do Distrito Federal e a Oi assinam hoje um acordo que concede à operadora a ampliação do prazo de pagamento de impostos, tendo como contrapartida o investimento de R$ 10 milhões em Brasília nos próximos 12 meses. O incentivo de crédito será feito via Banco de Brasília (BRB), que financiará R$ 3 bilhões referentes ao recolhimento de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS)para pagamento em 25 anos, em condições especiais para a empresa. Assim, em vez de pagar 100% do valor do imposto à vista, a Oi terá que recolher apenas 30%. Os outros 70% serão financiados pelo BRB. O acordo será assinado pelo diretor de planejamento da Oi, João de Deus. Também estará presente o diretor de relações institucionais, Jorge Jardim. Segundo o vice-governador Paulo Octávio, a estratégia foi adotada para tentar blindar os efeitos de fuga de investimentos e demissões decorrentes do processo de compra da Brasil Telecom (BrT) pela Oi. “Mantendo as operações, os empregos são mantidos. E a empresa ainda tem o compromisso de investir”, ressalta. Paulo Octávio reforça que é vantajoso para o governo fazer esse tipo de negociação para garantir o faturamento de produtos e serviços no DF. “Se não fizermos isso, a empresa acaba recolhendo impostos em outras praças”. Procurada, a Oi não se manifestou sobre o assunto. Call center O GDF também baixou impostos para que a Oi instale uma empresa de call center no DF. Segundo o secretário de Fazenda, Valdvino Oliveira, a alíquota foi reduzida de 25% para 10% e a do Imposto sobre Serviços (ISS) de 5% para 2%. “A expectativa é a contratação de 2 mil a 5 mil pessoas.” O secretário acrescenta que também haverá incentivo de investimentos via Fundo de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal (Fundef). O benefício vale para qualquer operadora de call center que queira se instalar no DF, mas o primeiro alvo foi a Oi devido à incorporação da BrT. “Antecipadamente, procuramos os sócios da Brasil Telecom. Como eles informaram que iam desempregar 400 técnicos, eles se comprometeram a criar 5 mil empregos em uma empresa de call center”, afirma Paulo Octávio. Questionado sobre a discrepância de salários entre técnicos e operadores de call center, o vice-governador justificou: “Por isso são 5 mil”. Segundo Paulo Octávio, a linha de crédito para financiar a implantação da empresa já está aprovada pelo Banco do Brasil, via Fundo do Centro-Oeste (FCO). Paulo Octávio garante que a formalização do call center no DF está em fase final. “Fizemos redução do imposto para a Contax (empresa de call center do mesmo grupo da Oi). Estamos cobrando porque eles estão atrasados. A justificativa é que ainda estão procurando uma área de 8 mil metros quadrados para instalar a empresa”, diz. Com esses incentivos, o vice-governador acredita que, com o passar do tempo, a Oi vai ampliar suas operações em Brasília. A operadora não se pronunciou sobre o assunto.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade