Publicidade

Correio Braziliense

Madoff cumprirá pena por fraude de US$ 65 bi em penitenciária de "primeira classe"


postado em 14/07/2009 15:53

O financista Bernard Madoff, condenado a 150 anos de prisão pela maior fraude da história de Wall Street, cumprirá a pena na Carolina do Norte, em uma das melhores penitenciárias dos Estados Unidos. Madoff, 71, será transferido para uma penitenciária de "primeira classe", famosa pelos funcionários e instalações médicas, na cidade de Butner, 650 km ao sul de Nova York.

O financista tem a data de soltura prevista para 14 de novembro de 2139, o que pode ser reduzido em caso de liberação por bom comportamento na prisão. Ele está listado nos arquivos do Escritório de Prisões com o número 61727-054. Madoff e a esposa, Ruth, 68, temiam que ele fosse enviado para uma penitenciária de segurança máxima afastada. A fraude de Madoff consistiu em montar a partir de 1979 um "esquema Ponzi", que chegou a US$ 65 bilhões, oferecendo investimentos com rentabilidade alta e financiada com os fundos dos novos investidores. Preso em dezembro do ano passado após a descoberta do esquema, Madoff, ex-diretor da Bolsa Nasdaq, assumiu sua culpa. Sobre ele pesaram 11 acusações, entre elas lavagem de dinheiro, perjúrio e fraude, cujas penas somadas davam os 150 anos a que foi condenado. O esquema de Madoff começou a ruir com a crise financeira global. Preocupados com o rumo da economia, diversos investidores tentaram resgatar seus recursos, fazendo com que a pirâmide não fosse mais sustentável. Bancos europeus e americanos, empresários, atletas e celebridades estão na lista de de potenciais vítimas da fraude. Aparecem na relação várias sociedades financeiras, principalmente europeias e americanas, grandes e pequenas, que asseguram ter investido na estrutura piramidal organizada por Madoff. Entre elas há fundos através dos quais investiram bancos como o BBVA, Bank of America, UBS, BNP Paribas, Bank of New York Mellon e Credit Suisse. Já entre as pessoas há famosos como o apresentador de televisão Larry King, os atores John Malkovich e Kevin Bacon ou o empresário imobiliário Larry Silverstein, e até pessoas ligadas ao financista, como seus filhos Mark e Andrew e seu irmão, Peter. Entre os nomes na lista também estão o do jogador de beisebol Sandy Koufax, o do senador democrata Frank Lautenberg e o do multimilionário Fred Wilpon, dono do time de beisebol New York Mets.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade