Publicidade

Correio Braziliense

Concurso do Ministério da Justiça é anulado


postado em 08/09/2009 08:25

Os 59 mil candidatos que se prepararam para o concurso do Ministério da Justiça terão que refazer as provas. A organizadora da seleção, a Fundação de Apoio à Pesquisa, Ensino e Assistência (Funrio), decidiu anular o concurso. A decisão foi tomada durante reunião do representante da Funrio com o secretário executivo do Ministério da Justiça, Luiz Paulo Barreto, no fim da tarde desta segunda-feira (7/09). As provas para os 450 postos de trabalho serão reaplicadas em 27 de setembro, em 11 estados e no Distrito Federal.

A Funrio diz que se viu obrigada a cancelar o concurso devido às confusões que ocorreram nas provas aplicadas pela manhã na UniDF. "A partir do momento em que a gente perdeu o controle da situação, anulamos o concurso. Não tentamos tapar o sol com a peneira", explicou o representante da Funrio em Brasília, Diogo Azevedo. Ele ressaltou que a decisão de reaplicar as provas partiu da própria organização, sem que fosse necessário qualquer candidato ou polícia intervir no caso. "Saímos na frente", disse. E completou: "O que ocorreu foi completamente inesperado e inédito para a Funrio. E admitimos que não tínhamos treinamento nem capacidade de controlar a situação", contou. Reportagem do Correio publicada ontem mostrou que provas aplicadas em Brasília foram marcadas por irregularidades e desorganização. Candidatos denunciaram a falta de lisura do concurso quanto ao sigilo das provas, muitas entregues já violadas, e na conduta dos fiscais, que falavam ao celular. Houve confusão também com a listagem dos candidatos e com a orientação dos locais de provas. Candidatos que deveriam fazer o exame em uma sala eram orientados a se deslocar para outra, o que gerou a confusão. Faltaram recipientes para guardar pertences pessoais dos candidatos, como relógios, pulseiras e aparelhos celulares. Na Universidade Paulista (Unip) houve, durante a tarde, queda de energia em alguns blocos por 25 minutos. Quem estava do lado de dentro não pôde fazer a prova. E quem estava do lado de fora foi impedido de entrar. Enquanto isso, em outros blocos onde não havia faltado luz, o concurso seguiu normalmente. Em um fórum na internet, uma candidata disse ter sido desrespeitada como nunca antes ao fazer um concurso público. "Fora o atraso pela falta de luz, levei quase uma hora para me concentrar, pois estava indignada com tanto despreparo e desrespeito. Sinceramente nunca vi nada igual." Outro candidato se disse surpreso com a desorganização. "Admiro muito como eles (Funrio) conseguiram fazer uma bagunça dessa logo em prova do Ministério da Justiça. Espero que a próxima seja mais organizada", comentou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade