Economia

Operações de crédito rural do BB aumentam mais de 100% em julho e agosto

postado em 09/09/2009 17:17
As operações de crédito rural do Banco do Brasil (BB) tiveram crescimento de 143% em julho e agosto, em relação ao mesmo período de 2008, com a realização de empréstimos de R$ 6,4 bilhões para a safra 2009/2010, segundo balanço divulgado nesta quarta-feira (9/9) pela instituição. O BB iniciou as operações ao final da safra anterior, a exemplo do que fez em anos anteriores, devido à diferença de épocas de plantio nas diversas regiões brasileiras. [SAIBAMAIS]Para o vice-presidente de Agronegócios do banco, Luís Carlos Guedes Pinto, os agricultores estão tendo renda positiva, comparado aos anos anteriores, por causa da queda de preços dos insumos, cotados em dólar. Guedes Pinto prevê que haverá antecipação da contratação total de recursos para a próxima safra já no mês de outubro, da ordem de 95%, ao contrário de anos anteriores, quando era tomado dinheiro até o último mês do ano. Ele acredita que a produção deste ano será maior que nas safras anteriores, pois a agricultura será beneficiada por maior estabilidade climática que no ano passado. A participação do BB no Sistema Nacional de Crédito Rural está, atualmente, em torno de 63%, segundo ele. Já foram investidos para o atual plano de safra mais de R$ 1,2 bilhão na agricultura familiar e R$ 5,2 bilhões na agricultura empresarial. Cerca de R$ 4,2 bilhões se destinam só a operações de custeio na agricultura familiar. As operações de investimento nessa área se aproximaram, este ano, a R$ 600 milhões, com crescimento de 534% sobre a safra anterior. O programa Mais Alimentos contratou 2,2 mil operações de crédito, no valor de R$ 96 milhões. A agricultura empresarial tomou R$ 421 milhões para investimento e R$ 1,2 bilhão só para comercialização, segundo o balanço. O vice-presidente de Agronegócios afirma que o crescimento dos empréstimos para a área rural se deve, além do início do reaquecimento da economia, também à revisão da classificação de risco nas operações crédito, decidida em resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN), favorecendo 93 mil produtores. Foram emprestados R$ 377,5 milhões nos últimos dois meses às cooperativas de agronegócio e R$ 257 milhões foram destinados ao crédito agroindustrial, destinado a indústrias, agroindústrias e empresas exportadoras de produtos agropecuários. Desde maio, foram emprestados R$ 2,8 bilhões no âmbito do Programa de Crédito Especial Rural (Procer) para financiar o capital de giro das agroindústrias, cooperativas agropecuárias, indústrias de máquinas e equipamentos agrícolas.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação