Publicidade

Correio Braziliense

Páscoa para todos os gostos e bolsos


postado em 25/02/2010 08:27 / atualizado em 25/02/2010 09:01

 Grandes marcas apostam na variedade(foto: Iano Andrade/CB/D.A Press )
Grandes marcas apostam na variedade (foto: Iano Andrade/CB/D.A Press )
São Paulo - Está aberta a temporada de euforia no mercado de chocolates. A pouco mais de um mês da Páscoa, os fabricantes apostam todas as fichas em novidades, como esconder brinquedos dentro dos ovos e apelar até para desenhos animados, personagens de Monteiro Lobato e super-heróis. A seu favor, os fabricantes têm o forte apelo que a ressurreição de Jesus Cristo representa nesta época do ano. Para se ter uma ideia, a população compra 80% de tudo que é exposto nas prateleiras de supermercados em apenas três dias. Contra, há um reajuste de até 8% nos preços, comparados aos praticados no ano passado no forte calor, já que chocolate combina mais com temperaturas amenas. Mas os fabricantes não se sentem nem um pouco inibidos, ainda que 3% dos produtos expostos em 2009 tenham encalhado. Neste ano, há ovos de Páscoa para todos os gostos e bolsos. O mais barato custa R$ 0,99 e o mais caro chega a R$ 1,5 mil. "É um ovo de 10 quilos, geralmente feito por encomenda para um público bem segmentado. Algumas pessoas pedem para colocar chave de carro zero ou casa própria dentro para presentear a pessoa querida", explica Renata Moraes Vichi, vice-presidente da Kopenhagen, fabricante da guloseima vip. Já a empresa que domina o ramo no país, a Lacta, vai jogar no mercado 21 milhões de ovos distribuídos em 47 itens, sendo 16 deles novidades. "Ninguém gosta de comprar ovo com embalagem repetida", explica o diretor da empresa, Eduardo Caldas. A maior fatia do público que vai consumir os produtos está nas classes B e C e quase a totalidade dos clientes que levam o ovo para casa é do sexo feminino. Para se ter uma noção, próximo ao feriado cristão, a produção da Lacta aumenta em 35%. Em um salão de ovos aberto ontem em São Paulo, os principais fabricantes apresentaram as novidades a um público segmentado. Uma das maiores tendências serão os ovos com maior percentual de cacau. Alguns têm até o formato da fruta que serve de matéria-prima para o produto. Outra aposta do mercado são os ovos sem açúcar e sem lactose, que miram consumidores que fazem dieta para emagrecer e diabéticos. Há ainda ovos de gostos duvidosos, que explodem na boca de quem der uma mordida, além da mais variada gama de brinquedos e apetrechos embutidos neles, como bonecos, carrinhos, relógios e estojos. Expectativa A corrida do consumidor ao mercado para comprar ovos de Páscoa é justificada pelo presidente da Associação Brasileira da Indústria de Chocolate e Derivados (Abicab), Getúlio Ursulino Neto: "Temos em São Paulo 190 quilômetros de congestionamento, todos os dias morre gente nas enchentes e até o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, tem problemas. Nada melhor do que ter um momento de felicidade comprando um ovo de páscoa. Os olhos das crianças saltam fora quando elas veem um ovo e a vovó começa a salivar ao ver o ovo sair da caixa". O gerente de marketing da Garoto, André Barros, reconhece que será um grande desafio vender mais em 2010 do que no ano passado, período em que o mercado ainda estava na ressaca da crise econômica mundial. O fabricante despejará 20 milhões de ovos em 4 mil pontos de vendas. A linha de produção aumenta 15% seis meses antes da Páscoa para atender a demanda. "O brasileiro criou o hábito de presentear no feriado de Páscoa. Geralmente ele compra o ovo, guarda por três dias e abre no domingo", ressalta Barros. De acordo com Gabriel Porciani, diretor de marketing de chocolates da Arcor, a empresa venderá 10% a mais nesta Páscoa, mesmo com o aumento de 5% que os produtos da marca devem ter em média em relação ao ano passado. Já Stefenson Soalheiro, gerente de marketing da Cacau Show, espera expansão de 50% nas vendas e 42% só na produção de ovos. "Neste ano, temos 140 lojas a mais em relação ao ano passado e a previsão é de que cheguem a 800 unidades até a Páscoa", contabiliza.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade