Publicidade

Correio Braziliense

Páscoa já é o segundo Dia dos Namorados


postado em 31/03/2010 08:20 / atualizado em 31/03/2010 09:37

A alegria dos comerciantes na Páscoa não é feita só de chocolate. O varejo ampliou o leque de produtos e apostou na data religiosa como um novo filão para impulsionar o comércio, como ocorre em outras épocas comemorativas(1). A diversificação deve alavancar as vendas em 9%, em comparação ao mesmo período do ano passado, segundo uma pesquisa feita pela Câmara dos Dirigentes Lojistas do Rio de Janeiro (CDL-RJ). “Os empresários estão inovando na data a cada ano para seduzir os consumidores. O comércio está direcionando seu foco não apenas para as crianças, mas também para os adultos, atraindo atenção especial dos casais, principalmente dos namorados”, explicou Aldo Gonçalves, presidente da CDL-RJ.

Os lojistas se prepararam para uma demanda mais elevada de bichos de pelúcia, perfumes, joias e bijuterias, cosméticos, roupas e acessórios, eletrodomésticos e eletroeletrônicos e até livros. Roque Pellizzaro Junior, presidente da Confederação Nacional do Dirigentes Lojistas justificou a escolha: “A ideia dos consumidores é se diferenciar, customizar o presente, especialmente o público mais jovem”. O empresário Alexandre Tadeu da Costa, dono da Cacau Show, foi mais enfático. “A Páscoa é um momento muito bom para o varejo. Já funciona como o segundo Dia dos Namorados”, definiu.

A psicóloga Roseane da Silva vai além do chocolate. Presenteará o namorado com um coelho de pelúcia.
A psicóloga Roseane da Silva vai além do chocolate. Presenteará o namorado com um coelho de pelúcia. "Vale a pena caprichar no presente", garante (foto: Rafael Ohana/CB/D.A Press )
A visão dos empresários é comprovada pela opção de Roseane Afonso da Silva. Pelo segundo ano consecutivo, a psicóloga de 23 anos comprou mais que o ovo de Páscoa para agradar ao namorado. Ela escolheu um coelho de pelúcia e um cartão gigante para acompanhar o chocolate escolhido. “Dar só o ovo é muito sem graça. Vale a pena caprichar mais no presente”, disse. Ela garantiu que não é a única. “Algumas das minhas amigas fazem a mesma coisa há tempos.”

Inovação
Os produtos de beleza também ganharam espaço na cesta do coelho da Páscoa. A Sack´s, maior perfumaria virtual do Brasil, deve vender 15% mais com a campanha promocional, inédita na loja. “Temos uma publicidade forte em épocas como Dia das Mães, dos Namorados, dos Pais e Natal. Agora, queremos inovar com outras datas, como a Páscoa e o Dia da Secretária”, disse o sócio-diretor da Sack´s, Carlos André Montenegro.

A Natura escolheu a linha Ekos inspirada no “cupulate”, chocolate feito a base de manteiga de cupuaçu para inovar na diversidade aos clientes. Essa também é a primeira vez que há produtos para a Páscoa no catálogo. Uma caixa de chocolate recheada de mini-sabonetes de cupuaçu e cacau foi a opção oferecida ao longo de todo mês de março. “A inspiração foi a produção, ainda artesanal, do cupulate nas regiões Norte e Nordeste e na tradição do cacau e do cupuaçu”, disse Gilberto Xandó, diretor da unidade de negócios da marca.

Para clientes com gosto sofisticado, é possível, por exemplo, colocar joias acompanhadas de bombons em embalagens douradas e ovais. A inovação é da joalheira Amsterdam Sauer. “Optando por presentear com uma joia em embalagem temática, nosso cliente tem a oportunidade de surpreender e ainda entregar um presente que pode durar para sempre”, justificou Rosana Moraes, gerente de marketing. Sem revelar números, ela garantiu que a procura, comparada com o ano passado, aumentou 96%.

1 - Datas lucrativas
Natal, Dia das Mães, Dia das Crianças e Dia dos Namorados são as datas mais lucrativas do comércio. É nessas épocas que ocorrem o maior número de contratação de trabalhadores temporários e quando o comércio mais movimenta a economia. Aos poucos, o setor varejista vem encontrando outras datas, como a Páscoa, para incrementar as vendas e garantir um bom faturamento.

O número
96%
Aumento da procura por presentes da joalheria Amsterdam Sauer acompanhados por bombons em embalagens ovais


Embalagem encarece os ovos

Victor Martins

O ovo de Páscoa está cerca de 12% mais caro em 2010. Mas o vilão não é somente o açúcar, que subiu quase 60% no último ano. A evolução das embalagens, cada vez mais chamativas, somada à decisão dos fabricantes de repor as perdas inflacionárias causadas pela crise financeira internacional instalada em 2009, impulsionou o custo do produto. A elevação de preços da guloseima em percentual de dois dígitos ocorre no momento em que o principal produto na composição do chocolate, o cacau, segue em rota de queda na bolsa de Nova York, balizadora importante dos valores pagos pelos fabricantes.

Somente nos últimos quatro meses, a commodity caiu cerca de 20%. Esse recuo no custo do cacau, segundo Alexandre Tadeu da Costa, dono da Cacau Show, foi mais que suficiente para equilibrar o custo de produção frente à alta do açúcar. “Ele (o açúcar) tem influência pequena no valor do produto final. O maior custo é do cacau, que vai em maior quantidade na formulação do chocolate. E tanto o cacau quanto a manteiga vêm caindo no último ano para os industriais”, explicou.

Sobra
O recuo de preços ocorreu em função de uma safra mundial maior que o esperado, segundo o boletim de informações de mercado da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), ligada ao Ministério da Agricultura. A safra de cacau, encerrada em setembro de 2009, registrou uma sobra de 32 mil toneladas. Com tanta oferta, os preços entraram em trajetória de queda. Mas nem mesmo essa rota de desaceleração fez o doce ficar mais barato quando comparado com os preços da última Páscoa. “No último ano, os embrulhos ficaram entre 15% e 17% mais caros. Nessa elevação, também tem um pouco de reposição inflacionária”, reconhece Costa.

Pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), o brasileiro está pagando apenas 0,34% a mais por bombons e barras neste ano. Elevação tão baixa só foi possível em função da queda nos preços do cacau. Mas, segundo levantamento feito pelo Instituto Fecomércio do Distrito Federal, os ovos não seguiram a mesma lógica. Apresentaram um aumento de 2,29%. Nas prateleiras, o produto está até 12% mais caro. Mesmo com a alta, o empresariado estima crescimento de 11,44% no faturamento desta Páscoa.


No último ano, os embrulhos ficaram entre 15% e 17% mais caros. Nessa elevação, também tem um pouco de reposição inflacionária”
Alexandre Tadeu da Costa, dono da Cacau Show

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade