Publicidade

Correio Braziliense ENERGIA

Chineses compram campo petrolífero

País asiático continua o avanço no setor energético brasileiro com a aquisição de 40% do poço Peregrino pela Sinochem


postado em 22/05/2010 13:05

O apetite dos chineses pelo mercado brasileiro não para de crescer. A companhia chinesa Sinochem acaba de adquirir 40% do campo de petróleo Peregrino, na bacia de Campos, até então sob a tutela da norueguesa Statoil. Foi a segunda cartada do país asiático nesta semana no setor de energia no Brasil. Na terça-feira, a gigante chinesa State Grid anunciou a compra de sete concessionárias de energia elétrica no Brasil, entre elas a Expansión Transmissão de Energia Elétrica (ETEE), que presta serviços no Distrito Federal, Goiás e Minas Gerais.

A Sinochem pagará US$ 3,07 bilhões pela participação na área petrolífera de Peregrino, cuja jazida teria entre 300 e 600 milhões de barris, segundo a Statoil. “Estamos felizes com essa transação e esperamos novos empreendimentos com nosso sócio, o Sinochem Group, no campo de Peregrino. As duas empresas veem muitas oportunidades na exploração e recuperação de recursos adicionais nas próximas décadas”, afirmou o presidente da companhia norueguesa, Helge Lund. A negociação ainda precisa da aprovação dos governos do Brasil e da China.

Joia almejada
Na visão de Felipe Queiroz, analista de petróleo e gás da Austin Rating, os holofotes sob o Brasil são reflexo de uma mudança estrutural a partir das descobertas dos megacampos da camada pré-sal. “As empresas estão de olho no mercado brasileiro, não só pelo consumo, mas também pela geração de energia. Por isso, chineses e europeus têm voltado as atenções para o Brasil”, ressaltou. Nesta semana, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a compra da Devon Energy pela BP Exploration Company.

“Isso mostra que nós somos a joia almejada”, destacou Queiroz. Segundo ele, o país está em trajetória ascendente de produção de petróleo, enquanto concorrentes têm perspectivas descendentes.

CAPITALIZAÇÃO DA ELETROSUL
» A Eletrosul, subsidiária da Eletrobras, será capitalizada em R$ 1,85 bilhão nos próximos três anos. O aporte dos recursos será feito pela Eletrobras de forma escalonada até 2013, para aplicação em obras como a Usina Jirau, o parque eólico de Cerro Chato, a subestação coletora de Porto Velho e as linhas de transmissão que vão trazer a energia gerada em Jirau e Santo Antônio até São Paulo. Projetos como a construção de usinas no Paraná e Mato Grosso do Sul e do Complexo Hidrelétrico São Bernardo, que inclui pequenas centrais em Santa Catarina, também receberão aportes. Até o fim deste ano, a holding estatal vai repassar um volume total de R$ 626,6 milhões para a Eletrosul. As demais liberações irão acompanhar o cronograma de investimentos da subsidiária.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade