Publicidade

Correio Braziliense

Na Previ, sai Rosa, entra Flores


postado em 01/06/2010 20:36

O maior fundo de pensão da América Latina, Previ, dos funcionários do Banco do Brasil, poderá aumentar seus investimentos em infraestrutura, se isso for de interesse do país. Ao mesmo tempo, vai atender as regras de governança corporativa. As afirmações são do novo presidente da entidade, Ricardo Flores, que tomou posse ontem. Sem se preocupar com possíveis usos da Previ pelo governo por entender que o fundo está blindado por regras maduras, Flores disse que projetos para a Copa em 2014 e para as Olimpíadas de 2016 podem ser analisados. "Queremos ser atores principais e não coadjuvantes no desenvolvimento do país", disse. Na véspera, a pré-candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, afirmou que os fundos de pensão deveriam ter uma participação maior no setor de infraestrutura. A Previ tem um caixa de R$ 142 bilhões.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade