Publicidade

Correio Braziliense

IPCA fica estável em junho

Segundo o IBGE, este é o mais baixo índice mensal desde junho de 2006, quando ocorreu deflação de 0,21%


postado em 07/07/2010 09:57 / atualizado em 07/07/2010 10:08

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou estável em junho, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em maio, a inflação medida foi de 0,43%. Com o resultado, o IPCA acumulou altas de 3,09% no semestre e de 4,84% nos 12 meses encerrados no mês passado. Foi o mais baixo índice mensal desde junho de 2006, quando ocorreu deflação de 0,21%.

Segundo o IBGE, os alimentos, cujo movimento de alta já havia perdido força no mês de maio por conta de problemas climáticos, foram os principais responsáveis pela forte desaceleração do IPCA em junho. O grupo de alimentação e bebidas teve contribuição de -0,20 ponto percentual, enquanto havia representado 0,06 ponto percentual em maio. Houve queda para os alimentos em todas as regiões pesquisadas, de -0,31% em Belém a -1,43% em Goiânia.

Dentre os índices regionais, os mais baixos foram registrados nas regiões metropolitanas de Porto Alegre e Curitiba (-0,15% em cada uma), puxados pelas quedas nos preços dos combustíveis (de -1,26% e -3,81%, respectivamente). O índice mais alto foi o de Brasília (0,38%), em razão do aumento de 13,44% nas passagens aéreas, gerando contribuição de 0,16 ponto percentual.

O índice engloba a variação de preços para famílias com rendimentos mensais de 1 a 40 salários mínimos, residentes nas principais áreas urbanas do País. O IPCA também é o índice oficial utilizado pelo Banco Central (BC) para cumprir o regime de metas de inflação, determinado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). O centro da meta de inflação para 2010 foi estabelecido em 4,5%, com margem de tolerância de dois pontos porcentuais para cima ou para baixo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade