Publicidade

Correio Braziliense

CARRO: Mercedes-Benz começa a vender o S400 Hybrid, sedã com um motor elétrico e outro a gasolina

E tudo de bom da marca tem nele


postado em 15/07/2010 07:00 / atualizado em 15/07/2010 18:39

São Paulo — Quem compra um carro de US$ 253,5 mil está preocupado com o consumo de combustível? Não, certamente não. Por enquanto, são poucos que levam esse fator em conta. E, por razões óbvias, não por conta do bolso. O que começa a surgir no Brasil é um tipo de consumidor realmente preocupado com o meio ambiente. Foi de olho nesse público com consciência ambiental que a Mercedes-Benz começou na semana passada a trazer para o Brasil o S400 Hybrid, um carro de dois motores: um V6 a combustão, de 279 cavalos, e outro elétrico, de 20cv.

(foto: Malagrine Estúdio/Divulgação)
(foto: Malagrine Estúdio/Divulgação)


O consumo dele é de, em média, 12,66km/l — 19% inferior ao modelo que lhe serviu de origem, o S350. Mas o que chama a atenção mesmo é, segundo os engenheiros da Mercedes-Benz, o fato de ele emitir apenas 186 gramas de CO2 por quilômetro — ou 21% a menos que o S350. Isso o torna o veículo desse porte menos poluente e mais econômico do mundo.

E por que isso ocorre? Bem, por várias razões. O carro também é, por exemplo, equipado com a função start/stop — o motor a gasolina desliga-se automaticamente toda vez que o automóvel chega abaixo de 15km/h (o elétrico assume). Isso poupa combustível em congestionamentos, pois a partida é dada — instantaneamente, por meio do elétrico — assim que o motorista retira o pé do freio. Com isso, obviamente, não há consumo de combustível.

E mais: quando o motorista freia, o motor elétrico começa automaticamente a converter a energia cinética do veículo em energia elétrica. Nesse caso, o motor elétrico atua como um gerador, armazenando energia na bateria de íons de lítio. Quando é hora de arrancar novamente, o motor elétrico reinicia quase que imperceptivelmente o funcionamento do motor a gasolina. Isso oferece uma contribuição significativa para a economia de combustível e a proteção do meio ambiente.

Nem parece híbrido
O Correio testou uma unidade blindada (80% dos Classe S saem das concessionárias assim) por cerca de 80km no trecho sul do Rodoanel, nas cercanias de São Paulo, e comprovou que o S 400 Hybrid nem parece um híbrido. Ele acelera de 0 a 100km/h em 7,3 segundos e é excelente em ultrapassagens e retomadas. Infelizmente, não foi possível testar seus limites, mas a montadora garante que ele atinge a velocidade máxima (eletronicamente controlada) de 250km/h.

Em relação à transmissão, os técnicos da Mercedes-Benz também adaptaram a 7G-Tronic (automática) para se ajustar à tecnologia híbrida. Segundo eles, uma bomba de óleo auxiliar recentemente desenvolvida garante uma lubrificação confiável da transmissão, mesmo durante as fases em que o motor de combustão é desligado.

Bem, a cara ecologicamente correta é a única diferença dele para os demais da marca. Quase todos os mimos e confortos típicos de uma Classe S (símbolo de luxo da Mercedes-Benz) estão presentes neste modelo. Falta, por exemplo, o massageador no banco do motorista, mas, vá lá, dá para passar, né?

A suspensão, por exemplo, tem dois tipos de ajuste: conforto (ótima para longos trechos) e esportividade. O conjunto de entretenimento (som e DVD) é multifunção. Aliás, possui tela de dupla projeção: enquanto o motorista, por lei (e bom senso) enxerga o computador de bordo, o passageiro assiste à televisão.

O sistema de assistência de visualização noturna, baseado em luz infravermelha é outro item a chamar a atenção. Dois faróis infravermelhos iluminam a estrada, ampliando a faixa de visão com o farol baixo. Uma câmara infravermelha montada do lado de dentro do parabrisa registra a imagem refletida da estrada à frente exibindo-a no painel de instrumentos. Bem, é difícil se acostumar, mas, com o tempo…

O jornalista viajou a convite da Mercedes-Benz

Preço
Com 35% de alíquota de importação, o S400 custa US$ 253,5 mil

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade