Publicidade

Estado de Minas

Dilma indica recondução de João Rezende na presidência da Anatel

O economista João Rezende desempenhou a função de conselheiro e presidente da Anatel desde novembro de 2011


postado em 05/11/2013 11:45 / atualizado em 05/11/2013 12:45

A presidente Dilma Rousseff encaminhou ontem ao Senado o nome de João Batista de Rezende, que presidia até ontem a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), para ser reconduzido ao cargo de membro do Conselho Diretor do órgão. Em outra mensagem, ela também indicou para ser apreciado pela Comissão de Infraestrutura da Casa e pelo seu plenário o nome do servidor Igor Vilas Boas de Freitas, para preencher a vaga aberta há um ano pela ex-conselheira Emília Maria Silva Ribeiro. As duas mensagens estão publicadas no Diário Oficial da União de hoje. O Senado deve confirmar os nomes até a primeira metade de dezembro.

Leia mais notícias em Economia

O economista João Rezende desempenhou a função de conselheiro e presidente da Anatel desde novembro de 2011. O engenheiro eletrônico Igor Vilas Boas, por sua vez, é consultor legislativo do Senado e desempenhou funções de assessoria na agência. O nome do servidor é fruto da articulação entre os senadores Walter Pinheiro (PT-BA), padrinho da indicação, José Sarney (PMDB-MA), responsável pela indicação anterior, e Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente da Casa.

Calheiros e Dilma trataram do tema em reunião fechada ontem, na qual também foi abortado o projeto de independência do Banco Central (BC). Ao formalizar a manutenção de Rezende na presidência da Anatel e renovar a indicação de Igor Vilas Boas de Freitas, escolhido para o Conselho Diretor da agência, o governo procurou afastar o desânimo gerado com a interinidade do comando e dois dos cinco membros da diretoria.

Os dois nomes foram enviados ao gabinete da presidente ontem pelo gabinete do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que saiu publicamente em defesa de Rezende na sexta-feira. O afastamento temporário dele deixaria mais difícil levar adiante importantes projetos tocados pelo órgão, como a licitação da faixa de 700 megahertz (MHz) e a análise da provável fusão da Vivo e da TIM.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade