Publicidade

Estado de Minas

Servidores públicos ameaçam fazer greve por reajustes nos contracheques

Representantes dos funcionários públicos reclamam da falta de diálogo e da política salarial do atual governo


postado em 16/04/2014 06:04


Sérgio Mendonça, do Planejamento, diz que reajustes são compatíveis com o momento econômico do país(foto: Hiram Vargas/Esp. CB/D.A Press)
Sérgio Mendonça, do Planejamento, diz que reajustes são compatíveis com o momento econômico do país (foto: Hiram Vargas/Esp. CB/D.A Press)


Aliadas históricas do governo, as centrais sindicais e as entidades representativas de servidores públicos prometem deflagrar greves nos próximos meses para aumentar a pressão por reajustes nos contracheques. Insatisfeitos com a política salarial do governo da presidente Dilma Rousseff, os representantes do funcionalismo reclamam que não são recebidos para negociar.

Leia mais notícias de Economia

Durante audiência realizada na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados, na qual representava o Executivo, o secretário de Relações de Trabalho no Serviço Público do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça, o governo recebeu duras críticas pela postura adotada de não dialogar sobre reajustes salariais.

Durante a audiência, o presidente da Central Geral de Trabalhadores do Brasil (CGTB), Ubiraci Dantas de Oliveira, acusou Mendonça de virar as costas para os pleitos dos trabalhadores. “Quando você esteve no Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), nos apoiava mais. Nossa defasagem salarial é maior que a inflação e o governo é autoritário.”

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade