Publicidade

Estado de Minas

Primeiro ministro francês anuncia cortes para reduzir déficit no país

O Estado poupará 18 bilhões de euros com o congelamento dos salários dos funcionários públicos e dos subsídios sociais


postado em 16/04/2014 10:57 / atualizado em 16/04/2014 11:06

Valls anunciou que os gastos do Estado serão reduzidos em todos os setores, com exceção na educação, justiça e polícia(foto: Alain Jocard/AFP)
Valls anunciou que os gastos do Estado serão reduzidos em todos os setores, com exceção na educação, justiça e polícia (foto: Alain Jocard/AFP)


O primeiro-ministro francês, Manuel Valls, anunciou nesta quarta-feira (16/4) o congelamento dos salários dos funcionários públicos e dos subsídios sociais, dentro de um plano de gastos públicos de 50 bilhões de euros até 2017.

O chefe de Governo francês detalhou pela primeira vez os cortes, cujo total já havia sido anunciado em janeiro pelo presidente François Hollande, e enfatizou que a "França cumprirá com seus compromissos" para reduzir o déficit público a 3% do Produto Interno Bruto.

O Estado poupará 18 bilhões de euros. As aposentadorias serão congeladas, com exceção das mais modestas, assim como os subsídios sociais como seguro desemprego. Também neste último caso, ficarão de fora as pessoas de menor renda.

Leia mais notícias em Economia

Paralelamente, Valls anunciou que os gastos do Estado serão reduzidos em todos os setores, com exceção na educação, justiça e polícia. "O emprego é a primeira prioridade", enfatizou.

O país tem cerca de 10% de sua população ativa afetada pelo desemprego. O chefe de Governo explicou que este programa orçamentário será examinado em 23 de abril pelo Conselho de Ministros e submetido à votação da Assembleia Nacional em 30 de abril.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade