Publicidade

Estado de Minas

Estudo do BC mostra que 78% das pessoas usam cédulas nas compras

O avanço na opção por pagamentos em dinheiro pode ser explicado pela elevação do Índice de Preços ao Consumidor (IPCA)


postado em 03/07/2014 08:35

A escalada da inflação está fazendo mais brasileiros andarem com o bolso cheio de dinheiro. Mas o que poderia ser encarado como sinônimo de riqueza, é, na verdade, mais um sintoma do mal que a carestia produz na sociedade. Em três anos, o número de pessoas que disseram pagar as compras com cédulas e moedas subiu de 72%, em 2010, para 78%, em 2013. Os dados fazem parte do estudo O" brasileiro e sua relação com o dinheiro", divulgado ontem pelo Banco Central (BC).

Salomão Francisco faz parte dos 51% da população que recebe o salário na mão, sem depósito bancário(foto: Deco Bancillon/CB/D.A Press)
Salomão Francisco faz parte dos 51% da população que recebe o salário na mão, sem depósito bancário (foto: Deco Bancillon/CB/D.A Press)

Esse avanço na opção por pagamentos em dinheiro pode ser explicado pela elevação do Índice de Preços ao Consumidor (IPCA), que acumula altas médias de 6% desde o início do governo Dilma Rousseff. Afinal, quando a inflação acelera, as pessoas precisam ter mais dinheiro para comprar os mesmos itens que antes.

Leia mais notícias em Economia

No período de alta no custo de vida, o governo tem que emitir moeda. Não por acaso, em um ano, o volume de papel-moeda em circulação no país cresceu mais de R$ 20 bilhões. Ao todo, a quantidade de cédulas e moedas em circulação pulou de R$ 166 bilhões para R$ 185,2 bilhões, entre março de 2013 e fevereiro deste ano, segundo dados do BC.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade