Publicidade

Estado de Minas

Após operação da PF, ações da Petrobras caem 2,94%. Dólar fecha em R$ 2,60

Valor da moeda norte-americana é o mais alto desde 18 de abril de 2005, quando a cotação tinha fechado em R$ 2,616


postado em 14/11/2014 18:02 / atualizado em 14/11/2014 18:32


As ações da Petrobras sofreram forte desvalorização após a Polícia Federal deflagrar mais uma etapa da operação Lava Jato. Os títulos da estatal puxaram a queda no Ibovespa, índice da Bolsa de Valores de São Paulo, que encerrou esta sexta-feira com recuo de 0,14%. Enquanto os papéis ON (ordinários, que garantem direito a voto em assembleias) da companhia caíram 2,67%, os preferenciais (PN, que conferem prioridade no recebimento de dividendos) desvalorizaram 2,94%. Durante o dia, as ações chegaram a cair 5%.

A estatal também não anunciou a demonstração contábil do 3º trimestre de 2014 que estava previsto para sair hoje. Segundo auditores externos da consultoria PricewaterhouseCoopers (PwC), responsável pela análise financeira, os desdobramentos da operação Lava Jato poderão interferir nos números da companhia.

Ao todo, sete empreiteiras, com contrato de mais de R$ 59 bilhões com a Petrobras foram alvo da operação. Até o momento, foram presas 18 pessoas, entre elas, o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque. Foram cumpridos seis mandatos de condução coercitiva e os investigados não localizados tiveram os nomes incluídos no sistema de procurados da PF.

Câmbio
Já a moeda norte-americana fechou em alta pelo terceiro dia seguido, cotada a R$ 2,60, uma valorização de 0,23%, no maior valor desde 18 de abril de 2005, quando a cotação tinha fechado em R$ 2,616.

O dia foi marcado pela volatilidade no mercado financeiro. No início da manhã, a cotação disparou. Por volta das 11h, o dólar chegou a atingir R$ 2,627. A alta, no entanto, arrefeceu no início da tarde. Às 16h30, a moeda chegou a cair para R$ 2,594, mas voltou a ficar acima de R$ 2,60 nos minutos finais da sessão. O dólar acumula alta de 4,92% em novembro e de 10,32% no ano.

A instabilidade é agravada pelo cenário externo, principalmente depois que o Federal Reserve (Fed), o Banco Central norte-americano, encerrou o programa de injeções de dólares na economia mundial motivado pela recuperação do emprego nos Estados Unidos.

Os rumores sobre os potenciais nomes que poderão ocupar o cargo de ministro da Fazenda também têm elevado a tensão no mercado e feito a moeda norte-americana oscilar.

Com informações da Agência Brasil

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade