Publicidade

Estado de Minas

Na mira do TCU, Bendine assume a Petrobras oficialmente nesta segunda-feira

Onda de investigações sobre operações realizadas pelo novo presidente da Petrobras só aumenta. Tribunal de Contas vê indícios de irregularidades em empréstimo concedido pelo Banco do Brasil a Val Marchiore, amiga de ex-comandante da instituição


postado em 09/02/2015 07:25

(foto: Valter Campanato/ABr)
(foto: Valter Campanato/ABr)
Aldemir Bendine assume hoje, oficialmente, a presidência da Petrobras com mais uma investigação pesando sobre seus ombros. O Tribunal de Contas da União (TCU) abriu dois procedimentos para apurar empréstimos concedidos pelo Banco do Brasil, do qual o executivo foi presidente, para a Torke Empreendimentos, empresa da apresentadora de tevê Val Marchiori. Na última sexta-feira, o Ministério Público Federal, que também investiga a operação, pediu à Polícia Federal a abertura de inquérito sobre o assunto.

A onda de processos contra Bendine só aumenta o descrédito dele entre os investidores, que reagiram muito mal à decisão da presidente Dilma Rousseff de nomeá-lo para o comando da Petrobras, em substituição a Graça Foster. Somente na sexta-feira, quando houve a confirmação da troca, a estatal perdeu R$ 8,5 bilhões em valor nas bolsas. O mercado viu a escolha da chefe do Executivo como política num momento em que a petroleira precisa de uma diretoria técnica para sair do atoleiro da corrupção, que sugou R$ 88,6 bilhões do patrimônio da companhia.

Segundo assessores de Dilma, o mercado exagerou na reação. No Palácio do Planalto, a visão é de que os investidores terão de “engolir” Bendine, pois não haverá recuo na decisão. A amigos, o novo presidente da Petrobras diz estar tranquilo. Acredita que, com o tempo, provará ser capacitado para tocar a maior empresa do país. Mesmo dentro do governo, poucos acreditam, uma vez que os órgãos de fiscalização não darão trégua no caso Val Marchiori.

Leia mais notícias em Economia

Pelas investigações do TCU e do Ministério, o Banco do Brasil contrariou normas internas e ajudou a apresentadora a conseguir um empréstimo subsidiado no fim de 2013. Marchiori é amiga muito próxima do ex-presidente do BB. Documentos do banco mostram que a instituição aprovou, num primeiro momento, limite de crédito de R$ 3 milhões para a apresentadora. Depois, a instruiu a elaborar uma série de documentos sem os quais não teria acesso a um repasse aprovado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Bendine alega que tudo está dentro das regras, mas o TCU e o MP veem irregularidades.

Para Adriano Pires, diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), as investigações sobre Bendine só comprovam que a presidente Dilma errou na troca de comando da Petrobras, que ainda não divulgou o balanço auditado do terceiro trimestre de 2014. A empresa responsável por dar aval aos números, a PricewaterhouseCoopers (PwC), recusou-se assinar os demonstrativos, agravando a crise que assola a petroleira, investigada pela Operação Lava-Jato.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade