Publicidade

Estado de Minas

Puxada por combustíveis e educação, prévia da inflação avança 1,33%

É a primeira vez que o indicador fica acima de 7% desde outubro de 2011, quando registrou alta acumulada de 7,12


postado em 24/02/2015 09:13 / atualizado em 24/02/2015 10:06

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), a prévia do índice oficial de inflação, registrou alta de 1,33% em fevereiro, superando a expectativa do mercado financeiro, que apontava para taxa de 1,29%. É a maior taxa mensal desde fevereiro de 2003, quando o indicador saltou 2,19%. A inflação foi puxada, sobretudo pelo aumento dos combustíveis e pelos itens de Educação. Também é a primeira vez que o indicador fica acima de 7%, desde outubro de 2011, quando registrou alta acumulada de 7,12%.

Com essa taxa, o mercado reforçou as apostas de aumento de mais 0,5 ponto percentual na Taxa Básica de Juros (Selic) em março. No acumulado de 12 meses, o IPCA-15 saltou 7,36%, acima do teto limite de 6,5% ao ano estipulado pelo governo. Entre os nove grupos analisados pelo IBGE, Educação foi o que mais subiu, com aumento de 5,98% e o impacto de 0,28 ponto percentual da inflação do mês. Em segundo lugar ficou o item Habitação, com alta de 2,17%, com impacto de 0,32 ponto percentual; e em terceiro lugar ficou Transportes 1,98%, com 0,37pp.

Leia mais notícias em Economia

Os transportes ajudaram a puxar a taxa de inflação do mês: o indicador passou de 0,75% em janeiro para 1,98% em fevereiro, refletindo principalmente os reajustes ocorridos nas tarifas de ônibus urbanos, com alta média de 7,34%. Essa alta, segundo a pesquisa, foi de 12,38% em Recife; 12,18% em São Paulo; 8,28% no Rio de Janeiro; 8,18% em Fortaleza; 4,51% em Salvador; 4,38% em Belo Horizonte; e 3,01% em Curitiba. Também teve alta nos preços do litro da gasolina (2,96%) e do litro do diesel. (2,54%), refletindo o aumento das alíquotas do PIS/Cofins desde o início do mês.

O maior impacto individual na inflação veio das contas de luz, que subiram, em média, 7,7%, e impacto de 0,23pp no IPCA-15 de fevereiro. O principal vilão entre os alimentos foi o feijãi, com alta de 10,07% no período.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade