Publicidade

Correio Braziliense

Entenda melhor a hipoteca, uma opção de crédito com risco alto

Para oferecer vantagens aos clientes, as instituições financeiras, nessa modalidade de crédito, exigem como garantia um imóvel quitado.


postado em 10/07/2016 08:10


Em tempos de crédito escasso e difícil, a hipoteca — operação muito utilizada em vários países, mas apenas recentemente oferecida no Brasil — pode ser uma boa opção para quem precisa de valores altos, com juros mais baixos e pagamento a longo prazo. Mas, como em toda linha de financiamento, o tomador precisa ter cautela, pois, caso não consiga honrar o compromisso, a perda pode ser grande. Para oferecer vantagens aos clientes, as instituições financeiras, nessa modalidade de crédito, exigem como garantia um imóvel quitado.

Esse tipo de financiamento é útil às pessoas que precisam de dinheiro para quitar dívidas mais caras; para as que desejam empreender, ou até mesmo comprar um novo imóvel. O empréstimo, na maioria bancos, equivale, a no máximo, 60% do valor do imóvel dado como garantia, em alguns casos, podendo chegar a R$ 3 milhões. Trabalham com esse tipo de linha de crédito Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Santander, Itaú, Banco Intermedium e Poupex, com taxas mensais a partir de 1,4% e prazos de pagamento entre 10 e 20 anos.

Cautela

O economista e professor da Universidade de Brasília (UnB) José Matias-Pereira aconselha cautela e que o consumidor tenha absoluta certeza de que terá condições de cumprir o acordo. “É importante perceber se está realmente em condições de honrar o compromisso, caso contrário, se houver algum tipo de dúvida, não pegue o empréstimo. O risco é alto.”

Caso o endividado não consiga pagar as prestações, terá que entregar o imóvel, mesmo que já tenha quitado uma parte do empréstimo. Esse bem será leiloado pela instituição financeira e o antigo dono receberá a diferença entre o valor da venda e o da dívida não paga.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade