Publicidade

Correio Braziliense

Tributos pesam no bolso dos brasileiros sem retorno em serviços

No país com o setor público mais superlativo da América Latina, cada pessoa precisa trabalhar 151 dias só para pagar impostos. Na avaliação da população, faltam benefícios que compensem tamanho esforço. Reforma do sistema segue distante


postado em 28/12/2016 06:00 / atualizado em 28/12/2016 11:29

Em países que têm alta carga tributária, a população costuma contar, em contrapartida, com serviços públicos de boa qualidade. No Brasil só existe um lado da equação. Somos a nação da América Latina em que mais se cobram impostos das empresas e dos trabalhadores. Mas o atendimento deixa a desejar em hospitais, escolas, creches e delegacias. E a infraestrutura é extremamente precária. Em 2015, a arrecadação de tributos comeu 32,66% do Produto Interno Bruto (PIB).

Leia mais notícias de Economia

De acordo com pesquisa do Ibope, encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), nove em cada dez brasileiros estão insatisfeitos com o retorno dos impostos pagos. Na avaliação de 70% dos entrevistados,  a responsabilidade por isso é do governo.

O dinheiro arrecadado, um terço da riqueza produzida no ano, foi insuficiente até mesmo para manter as contas públicas no azul. Na tentativa de reequilibrar as finanças no futuro, o governo conseguiu que o Congresso Nacional aprovasse uma emenda constitucional que limita o crescimento das despesas.

O aumento de impostos chegou a ser cogitado, mas acabou sendo deixado de lado diante do desemprego crescente e do número de empresas fechando as portas. Com a elevação da carga, a retomada do crescimento econômico poderia ficar ainda mais distante. E a própria arrecadação do governo acabaria, assim, comprometida. Aliás, já está sofrendo bastante.

 

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade