Publicidade

Correio Braziliense

Consumidores pretendem gastar menos na Black Friday deste ano, diz SPC

Em média, os consumidores pretendem comprar até três produtos e gastar cerca de R$ 1.047 em 2017


postado em 16/11/2017 12:36 / atualizado em 16/11/2017 12:57

A maioria dos consumidores acreditam que a data é um momento oportuno para adquirir algo por um preço mais barato(foto: Hugo Gonçalves/Esp.CB/D.A Press)
A maioria dos consumidores acreditam que a data é um momento oportuno para adquirir algo por um preço mais barato (foto: Hugo Gonçalves/Esp.CB/D.A Press)
 
A maioria dos consumidores não pretendem comprar algo na Black Friday se os preços e descontos valerem a pena, segundo levantamento de Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). A pesquisa mostra que 43% dos entrevistados estão dispostos a gastar na última sexta-feira do mês. Os dados foram divulgados na manhã desta quinta-feira (16/11).

Apesar disso, a percepção é de que o evento vem aumentando o número de adeptos a cada ano. Mas como a situação financeira das famílias ainda não se recuperou da crise econômica, mais de 39% dos que vão gastar pretendem tirar menos dinheiro do bolso em comparação com 2016. O valor médio das compras deve cair R$ 378 em relação ao ano passado. 

A maioria (72%) destes consumidores acreditam que a data é um momento oportuno para adquirir algo por um preço mais barato. Mas os que não vão na onda da Black Friday culpam a falta de dinheiro (23%), o momento econômico (18%) e o receio das fraudes (16%). 
No Brasil, a data ficou conhecida como “Black Fraude”, porque alguns estabelecimentos não davam realmente descontos, apesar dos anúncios de promoção. Dos entrevistados pela SPC Brasil, 39% fizeram compras no evento em 2016. 

Em média, os consumidores pretendem comprar até três produtos e gastar cerca de R$ 1.047 em 2017. Dos que vão gastar, 63% aguardam descontos acima de 40%. Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil, declarou que, se a compra é necessária, o consumidor pode conseguir um bom desconto. “É bom que os consumidores saibam aproveitar verdadeiras oportunidades e busquem pelo preço mais baixo. O tamanho do desconto, no entanto, depende de que se faça pesquisa desde já, anotado e comparando os resultados da busca. É um exercício que exige paciência e certa disciplina”, afirmou. 

Produtos mais procurados

Os smartphones serão os produtos mais procurados, segundo a pesquisa. Cerca de 29% dos entrevistados vão aproveitar as promoções para trocar de celular. Roupas (28%) e eletrodomésticos (25%) vêm em seguida na lista de compras. 

A forma de pagamento que será mais utilizada será o cartão de crédito parcelado (42%) e o dinheiro (26%). Em média, os consumidores devem parcelar em seis prestações. Kawauti alertou para o uso da primeira modalidade de pagamento. “A oportunidade do desconto deve ser usada com sabedoria, para que não se caia na armadilha das promoções. Caso não haja um bom controle do orçamento, é alto o risco de a pessoa gerar uma bola de neve de dívidas”, afirmou a especialista.

O sites serão os preferidos na hora da compra. A maioria vai adquirir os produtos via web (56%), seguido de shoppings (23%).  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade