Publicidade

Correio Braziliense

Sistema torna mais seguro o uso do cartão de crédito em compras on-line

Parceria do Santander com Dafiti e Mastercard testa autenticação por meio de digital e reconhecimento facial, o que aumenta segurança para compradores


postado em 12/12/2017 06:00 / atualizado em 12/12/2017 09:44

Site do Santander: nova tecnologia está sendo avaliada e passa por ajustes(foto: Reprodução)
Site do Santander: nova tecnologia está sendo avaliada e passa por ajustes (foto: Reprodução)

São Paulo — O medo de ter o cartão fraudado espanta muitos consumidores do comércio eletrônico. Estudo divulgado no ano passado mostrou que 49% da população brasileira que participou da pesquisa foi vítima de algum golpe com cartão, o que colocou o país em segundo lugar no ranking global.

Novas tecnologias tendem a minimizar esse receio de usar o cartão de crédito nas compras on-line. Está em fase piloto até o fim deste mês um projeto que envolve o banco Santander, a operadora de cartões Mastercard e a rede de varejo on-line Dafiti. Ao todo, 120 mil clientes do banco estão testando a autenticação de pagamentos on-line com o uso da impressão digital ou por meio do reconhecimento facial, o chamado Identity Check Mobile. Com essa tecnologia, não há a necessidade de digitar a senha na hora da operação.

Leia as últimas notícias em Economia

Como ainda é uma fase de teste, o aplicativo só pode ser baixado pelos clientes convidados. A Identity Check Mobile, lançada pela Mastercard no Brasil há um ano, já está em uso em outros 14 países, como Estados Unidos, Canadá e Reino Unido. Depois da fase de avaliação e de ajustes, a ideia é que a tecnologia de pagamento faça parte do aplicativo Way, do Santander, e seja disponibilizada para todos os consumidores. A previsão é de que isso ocorra ainda no primeiro semestre de 2018. O banco espanhol é o primeiro emissor da América Latina a oferecer a solução para correntistas e não correntistas.

Gustavo Kok, diretor de pagamentos e prevenção de fraudes para a América Latina da Dafiti, acredita que esse tipo de inovação deverá agregar mais clientes ao negócio. “Cada vez mais transações estão sendo feitas pelo celular. A tendência é que ele também seja cada vez mais usado como um grande autenticador dessas compras”, avalia o executivo.

(foto: Reprodução)
(foto: Reprodução)


Testes 

Para usar a nova tecnologia de verificação de pagamento, os clientes têm de baixar o aplicativo ID Check e cadastrar os dados biométricos — com o scanner de impressão digital ou com uma selfie no próprio smartphone. No caso da Dafiti, a compra é feita normalmente pelo site. Mas na etapa final é enviada uma notificação para o celular do cliente para a autenticação do pagamento por meio da biometria. Ou o cliente tira uma selfie com o celular ou permite a leitura da sua impressão digital.

Na primeira fase de implantação do projeto, em agosto, os testes foram feitos com os funcionários das três empresas. Os convites para os 120 mil clientes da base do Santander passaram a ser feitos no fim de novembro. Para facilitar o primeiro contato, o banco enviou aos clientes selecionados um tutorial para ensinar a usar a tecnologia de biometria. Kok acredita que novas soluções para garantir o pagamento vão ser oferecidas cada vez mais rapidamente. Ele cita como exemplo a tecnologia que confirma a identificação da pessoa ao reconhecer a forma como ela costuma usar o celular — desde o jeito de tirar o aparelho do bolso até a maneira como digita. “Não estamos falando de um futuro distante”, afirma o executivo da Dafiti.

Kok não diz quanto a empresa investe em segurança para coibir os casos de fraude — “são milhões de reais por ano para fazer a prevenção” —, mas garante que o uso de biometria pode reduzir bastante os casos de irregularidade na hora do pagamento, inclusive por meio do cartão de débito, que ainda é pouco usado no comércio eletrônico, segundo o executivo. “Os consumidores vão se sentir mais confiantes”, garante.

Para o comércio on-line, a redução de fraudes pode representar um incremento no balanço, já que são as lojas que reembolsam os clientes nos casos em que uma compra é feita, por exemplo, com um cartão clonado. Além disso, quem se sente inseguro em usar essa forma de pagamento pode se sentir mais confiante com o ambiente on-line.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade