Publicidade

Correio Braziliense

Temer recua e frisa vontade de aprovar reforma da Previdência ainda em 2017

Segundo o presidente da República, parlamentares que forem competir nas eleições de 2018 não poderão se eximir da discussão sobre a Reforma da Previdência


postado em 12/12/2017 17:25

Após reconhecer que a reforma da Previdência pode ficar para 2018, o presidente da República, Michel Temer, recuou. Sem admitir possibilidades de votação no próximo ano, o peemedebista enfatizou a importância de que o texto seja aprovado ainda em dezembro durante cerimônia do lançamento de medidas para o combate à corrupção no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).
 
O chefe do Executivo Federal diz ser fundamental que a reforma da Previdência seja votada ainda em 2017, na Câmara dos Deputados. E foi além, deixando claro que parlamentares e outros candidatos políticos que forem competir nas eleições de 2018 não poderão se eximir da discussão da reforma. 

Leia as últimas notícias em Política


“Não vamos ter a ilusão que candidatos à presidência, a governador, que não sejam questionados durante a campanha. Vão ter que definir isso durante a campanha. Eles vão ter que dizer qual o posicionamento em relação à Previdência. Sendo assim, é melhor resolver isto logo”, declarou Temer, em clara cobrança para que a proposta seja apreciada na Câmara ainda este ano. 
 
Ao fim da tarde, às 17h30, Temer continuará discutindo e negociando apoio pela aprovação da reforma da Previdência. Ele receberá cerca de 154 líderes e empresariais para falar sobre o texto. “Os dirigentes estarão aqui para falarmos da Previdência Social. Vêm aqui para exigir que o governo realize a reforma. Eu vou pedir a eles e para outros colegas deputados e senadores para, naturalmente, pleitearem exatamente a aprovação”, afirmou o peemedebista.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade