Publicidade

Correio Braziliense

Investidores pedem que governo aprove a reforma da Previdência, diz Temer

Além de empresários, Temer também se encontrou com líderes de nações que procuraram o governo para estreitar laços comerciais


postado em 25/01/2018 16:14 / atualizado em 25/01/2018 16:34


A avaliação de Temer em sua volta à Suíça é de dever comprido.(foto: FABRICE COFFRINI/CB/D.A Press)
A avaliação de Temer em sua volta à Suíça é de dever comprido. (foto: FABRICE COFFRINI/CB/D.A Press)
 
O presidente Michel Temer retorna nesta quinta-feira (25/1) ao Brasil com importante apoio na “bagagem”. Em Davos, na Suíça, onde ele participou da 48ª reunião do Fórum Econômico Mundial, ouviu muitos pedidos de empresários que pedem a aprovação da reforma da Previdência. É o que afirma o peemedebista, em vídeo publicado nas redes sociais. 
 
  
A avaliação de Temer é de “dever cumprido”. “Estou voltando hoje depois de uma reunião muito produtiva. Tivemos encontros com vários empresários, todos investidores do nosso país, que pretendem investir ainda mais. (...) Muitos pedindo que seja aprovada a reforma da Previdência, tendo em vista que (a aprovação) aumenta ainda mais a credibilidade e a confiança no nosso país”, afirmou.
 
O peemedebista embarcou na segunda-feira a noite, e desembarca na Base Aérea às 19h50 de hoje. Além de empresários, Temer também se encontrou com líderes de nações que procuraram o governo para estreitar laços comerciais. “Se manifestaram revelando as potencialidades do nosso país. E mais do que as potencialidades, são as realidades econômicas e sociais que, digamos assim, ultrapassam as fronteiras do Brasil e ganharam as fronteiras de Davos”, disse.
 
A avaliação do ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco, segue a mesma linha. “A mensagem que o presidente Michel Temer e os ministros trouxeram aqui, é que o Brasil voltou. Enfrentou a mais dura recessão da sua história. E voltou porque a recessão foi superada, os empregos estão retornando, os juros caíram, a inflação caiu, e há, novamente, uma confiança muito grande no futuro do Brasil. Não só dos investidores internos, como investidores externos”, destacou. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade